Viação Garcia aceita reserva online para embarque

embarcar onibus garciaA viação Garcia aderiu na semana passada, o check-in totalmente digital, que permitirá o embarque de passageiros sem apresentação do bilhete impresso nos guichês. Com a novidade, dá para chegar mais tarde para embarcar e fugir das filas na hora de imprimir a passagem. Basta reservar a passagem rodoviária pelo computador ou tablet e apresentar o número da passagem, junto com um documento de identificação com foto. Todas as plataformas de venda de passagens de ônibus pela internet geram um número/código de identificação que ajuda a empresa a identificar a reserva no sistema. É com ele que o usuário poderá viajar de forma mais cômoda e ágil, em qualquer um dos terminais rodoviários operados pela companhia de ônibus de Londrina.

O serviço batizado com o nome de “Check-In Digital – Seu Embarque Fácil” é o primeiro do Brasil há cobrir todas as linhas interestaduais de uma operadora em atividade, mas já está sendo testado por outras empresas do setor. Segundo empresas que administram os maiores terminais rodoviários do país, é ideal chegar pelo menos, 30 minutos antes ao horário marcado para a viagem. “O passageiro poderá diminuir o tempo de espera e chegar a rodoviária minutos antes do embarque”, explica o CEO do site Quero Passagem, Lukasz Gieranczyk. (O Quero Passagem é um site especializado em venda de passagens de ônibus, em parceria com a Garcia e outras empresas. Com ele é possível reservar mais de 3 mil destinos pelo computador, tablet ou smartphone)

Como funciona?
Com o número do voucher e o RG, é só ir até a plataforma de embarque indicada na reserva e apresentar a numeração e o nome completo do passageiro para poder embarcar. Todas as passagens rodoviárias reservadas pela internet são registradas no relatório da viação Garcia, através do número de identificação, do documento do cadastro e do nome do passageiro. Com essas informações, o colaborador da empresa localiza a reserva e libera o embarque.

Viação Garcia testa ônibus com piloto automático em Curitiba

viação GarciaA partir do mês de Setembro os passageiros que viajam pelo trecho Curitiba e Londrina terão uma surpresa, é mais tecnologia sendo colocada para rodar pelas estadas do Brasil. A Viação Garcia começa a testar o ônibus Scania modelo K400 6X2, uma novidade no setor rodoviário. Trata-se de um veículo de demonstração, com capacidade para 44 passageiros, equipado com um sistema de segurança inovador e vários itens voltados ao conforto do passageiro. Durante o período de um mês, o ônibus equipado com motor de 13 litros a diesel será testado operando a linha Londrina-Curitiba.

O modelo K400 conta com um pacote tecnológico inédito no país, incluindo dispositivos de segurança e sistema de frenagem como a Velocidade Adaptativa de Cruzeiro (o ônibus identifica o carro que vai a frente, mantendo o espaço entre eles, independente da velocidade), Sistema de Parada de Emergência (se o piloto automático estiver programado e o motorista não agir, o veículo para sozinho), Sistema de Aviso de Faixa (se a velocidade de cruzeiro está programada e o veículo começa a sair da faixa, sem ação do motorista, o sistema dá um alerta, vibrando o banco do motorista), além do Scania Retarder (possibilita frenagens seguras em todas as situações).

“O Freio Retarder oferece um belo diferencial, tanto na questão de segurança, quanto dos operadores do sistema rodoviário, porque aumenta muito a vida útil dos freios e a velocidade média do veículo em serra. Você pode programar a frenagem dele e ele faz de forma automática, aumentando bastante à velocidade média da viagem e a durabilidade do sistema de freio”, explica Rogério Moro, Gerente de negócios da Scania no Paraná. Nesse teste será avaliado, segurança, conforto, desempenho e consumo de combustível, já que o trecho possui 290 km de serra, um trecho que requer muito mais de qualquer veículo. Além dos itens de segurança, o ônibus demonstração da Scania foi equipado com carroceria Comil, trazendo opcionais como entrada USB nas poltronas, sistema de TV e ar condicionado. É segurança e conforto para o passageiro e para o condutor.

Viajar com a viação Garcia é mais barato do que andar de avião

viação GarciaBastou o feriado chegar para que seus planos de ficar em casa se tornem coisa do passado. Como resistir ao dia de folga, longe da melancolia e mesmice vivida sob quatro paredes? E o pior, como fazer as malas sem comprometer o orçamento no final do mês? Quem viajou no último feriado prolongado, abordo da viação Garcia tem a resposta. Segundo levantamento feito por uma agência de turismo online, a companhia rodoviária comercializou passagens de ônibus até seis vezes mais barato do que as companhias áreas, para o mesmo trajeto. Sorte para quem estava no Rio de Janeiro e queria desembarcar em Londrina, sede onde fica a empresa rodoviária.

Para este trajeto, a auto viação cobrou uma taxa de aproximadamente R$ 400, com o bilhete de volta garantido, enquanto que para voar ao mesmo destino, o valor era superior a R$ 1 mil, ou seja, uma diferença econômica de mais de 150%. A altercação de preço se estendeu para vários outros trechos operados pela companhia Garcia, a exemplo da rota entre Curitiba e Maringá. O trajeto custa em média R$ 215 de ônibus e sai pouco mais de R$ 1.300 se o turista preferir ir de avião. Além de serem mais baratos, com os bilhetes rodoviários não há susto. O valor é fixado anualmente, raramente sobe e assim é possível se programar com menos antecedência do que no setor área, sem correr o risco de pagar mais caro por isso.

Quem sempre viajou nas nuvens, admite que não dá mais para optar pelo serviço aéreo só pelo tempo da viagem. “A diferença de preço entre os serviços é muito grande. Por isso, não vale mais a pena deixar de economizar tanto para reduzir o tempo da viagem. Com a crise financeira, o primeiro item é o preço”, explica Juliano Ronam, microempresário que reside em Santa Catarina. Dos últimos quatro anos, optar pelas companhias de ônibus é certeza de praticidade e conforto. A maioria das classes de ônibus oferecem serviços de ótima qualidade, com internet sem fio, frigobar e TV com DVD.

Viação Garcia supera venda de companhias aéreas em Londrina

viagens aéreasA viação Garcia terá uma difícil missão durante as operações de 2016: manter a liderança na preferência dos embarques realizados em Londrina, contra as empresas aéreas que atuam na região. A crise econômica tem refletido no bolso dos passageiros que moram no interior do Paraná, favorecendo o modal rodoviário, como o da empresa responsável pela operação das principais linhas de transporte rodoviário do Estado. Além do aumento nas vendas das passagens rodoviárias para viagens de curta e média distância, a rodoviária de Londrina também têm recebido mais passageiros nos últimos seis meses. Segundo empresários do setor é uma movimentação positiva desde as operações controladas em 2011. De lá pra cá, a viação Garcia e suas concorrentes tiveram que superar queda no volume de passageiros, com diminuição de embarques em linhas regulares de grande demanda, como as que ligam a cidade até Curitiba e São Paulo.

Feriados Prolongados
Os ônibus levam vantagem durante os feriados prolongados e as datas comemorativas, já que são liberados para ampliarem suas frotas a favor do atendimento a população, em datas especiais. Essa flexibilidade aliada a novas tecnologias tem tornado as viagens de ônibus uma excelente opção em viagens de última hora. Diferente das companhias aéreas que reajustam os valores das passagens na medida em que voos em grande de escala se aproximam.

Mercado Brasileiro
Nos últimos cinco anos, as auto viações tiveram que aprender a lidar com o aumento no poder de compra do consumidor, desfavorável para um modal considerado de uso prioritário das classes C e D. Além disso, os incentivos a compra de automóveis por parte do Governo e os preços acessíveis de várias linhas aéreas, antes inacessíveis para muitos brasileiros, também foi outro aspecto que prejudicou as contas de grandes empresas rodoviárias do Brasil. Com a necessidade e falência de operação por parte de vários grupos, a fusão e extinção de nomes conhecidos no setor passou a ser manobra corriqueira no país. Apesar da baixa, várias modernizações e investimentos também vieram a colaborar com os ônibus.

Brasil Sul compra 50% das ações da viação Garcia

Fusão Operacional é milionária.

Fusão Operacional é milionária.

A companhia de ônibus Brasil Sul Linhas Rodoviárias, com atuação em diversos estados brasileiros, comprou parte do controle acionário da viação Garcia. A negociação foi confirmada há dois meses e deve impactar nos serviços rodoviários disponibilizados pelas duas auto viações, principalmente no estado do Paraná, de onde há o maior número de linhas rodoviárias em atuação. Comandada inicialmente através dos investimentos dos espanhóis Celso Garcia Cid e José Garcia Villar, a companhia Garcia foi comercializada pela primeira vez, em 2010, quando se integrou aos negócios milionários das empresas Ouro Branco e viação Princesa do Ivaí. Ambas são controladas pelo empresário gaúcho, Mário Luft, fundador do grupo Luft, que desembolsou uma quantia de nada mais, nada menos do que R$ 400 milhões para ter em seu grupo, uma das cinco maiores empresas de transporte rodoviário do Brasil.

Apesar da compra ter sido confirmada por ambas as empresas, o valor da transação não ainda não foi divulgado. Considerada uma das empresas mais tradicionais de Londrina, a viação Garcia foi fundada em 1934 e viu a cidade paranaense crescer enquanto a frota sua frota era ampliada e passava a atender diversas localidades do Brasil. Hoje é uma das primeiras companhias em operação em Londrina e Curitiba, ocupando uma cobiçada posição entre mais bem sucedidas auto viações do país. Com a integração, o grupo comandado pela Brasil Sul poderá oferecer rotas rodoviárias entre o Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro, em um hall de linhas interestaduais, com atuação em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Em nota oficial, as companhias de ônibus disseram que a compra inicial foi destinada a 49,9% do controle acionário ao Grupo Brasil Sul. O restante da aquisição ainda deve acontecer assim que as autorizações dos órgãos concedentes das linhas intermunicipais e interestaduais forem liberadas. “A troca de experiências entre as empresas, colocando toda a tradição da Garcia com a modernidade da Brasil Sul, refletirá diretamente na qualidade operacional do serviço prestado ao nosso passageiro”, afirma um dos proprietários. As empresas continuam trabalhando com seus respectivos nomes, apenas operando com a uma fusão operacional.

Compra da viação Garcia pela Brasil Sul completa dez meses

Auto viação está entre as cinco maiores do Brasil.

Auto viação está entre as cinco maiores do Brasil.

Completa na semana que vem, dez meses que a viação Garcia deixou de ser do empresário do Rio Grande do Sul, Mário Luft, fundador do grupo Luft. No dia 20 de fevereiro, a empresa Brasil Sul Linhas Rodoviárias adquiriu 50% dos direitos econômicos da auto viação, com sede em Londrina, no Paraná. A fusão oficializada no final do mês de fevereiro, uniu ao grupo da Brasil Sul, uma das cinco maiores companhias rodoviárias do Brasil. A viação Garcia, apostada pelos empresários espanhóis Celso Garcia Cid e José Garcia Villar, na década de 30, já pertencia a outro importante grupo de empresas do setor. Há quatro anos, a companhia de ônibus chegou a ser vendida pelo valor de R$ 400 milhões – a transação centralizava as ações da empresa paranaense ao lado das companhias Ouro Branco e Princesa do Ivaí, ambas com forte atuação no Paraná.

De acordo com as informações divulgadas em nota oficial, a Brasil Sul comprou metade do controle acionário da companhia Garcia. O grupo de investidores adquiriu o montante que faltava, depois dos órgãos responsáveis pelas concessões das linhas intermunicipais e interestaduais, darem as autorizações formais de compra, ao grupo. Mesmo com a fusão, as companhias permaneceram com os mesmos nomes operacionais, integrando o grupo, agora chamado de Grupo Garcia Brasil Sul. Para os novos proprietários, a troca de experiências entre as empresas, colocando toda a tradição da Garcia com a modernidade da Brasil Sul, já está refletindo na qualidade operacional do serviço prestado aos passageiros da região.

Atualmente, a Garcia ostenta uma das cinco vagas entre as cinco maiores auto viações do Brasil, oferecendo rotas rodoviárias entre o Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Sua parceria de fusão, a Brasil Sul, também tem sede em Londrina, atuando com imponência no estado do Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Segundo especialistas, a companhia integra o grupo rodoviário que mais cresce no país, investindo na renovação de suas frotas e composição de grandes transportadoras para liderar as linhas interestaduais no Sul e Sudeste do Brasil.