Conheça a Itapemirim: A maior companhia de ônibus do Brasil

Viação Itapemirim

Viação Itapemirim

A maior e mais antiga companhia de ônibus do Brasil tem nome de cidade: Itapemirim, em homenagem a Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, foi fundada pelo empresário Camilo Cola, em 1953. Sete anos depois de adquirir um Ford Hércules, com auxilio do Governo Federal, de quem tinha crédito por ter integrado a Força Expedicionária Brasileira, durante a Segunda Guerra Mundial. Com a compra facilitada dos caminhões, Camilo passou a estimular a prática de compra e venda de veículos, enquanto transportava cargas e passageiros. A atividade lhe rendeu dinheiro suficiente para criar a Empresa de Transporte Autos ­ ETA, aquela que seria a maior auto viação do país.

Na época, a frota era composta por apenas um ônibus, que operava no transporte de passageiros entre Castelo e Cachoeiro do Itapemirim. Demorou três anos para que a empresa ampliasse o número de veículos, passando a operar com o nome de viação Itapemirim LTDA, fruto de uma fusão com mais duas empresas rodoviárias. Com o tempo, as linhas foram sendo estendias para o norte do Espírito Santo. Em 1960, a Itapemirim passou a obter a concessão das linhas Brasília – Belo Horizonte e Belo Horizonte – Vitória (ES). Três anos depois já contabilizava 100 ônibus em sua frota. Apesar disso, a auto viação só ganhou renome nacional entre as companhas mais importantes do Brasil, em 1973, quando incorporou os serviços da viação Nossa Senhora da Penha, ampliando a frota para mais de 500 veículos, em menos de um ano.

Nos anos 80, adquiriu as operações da viação Única, importante companhia que operava a linha Rio de Janeiro – São Paulo. Com o controle do eixo rodoviário mais movimentado do Brasil e uma das maiores frotas da país, a Itapemirim tornou-se a maior empresa de transporte rodoviário de passageiros da América Latina. Além de transportar milhares de passageiros em diversas regiões, a companhia também trouxe novidades para o setor rodoviário, chegando a produzir suas próprias carroçarias. A iniciativa contribuiu para o avanço da engenharia automobilística internacional, através do modelo Tribus, que opera sob três eixos. Atualmente, a viação Itapemirim transferiu mais de 50% de suas linhas interestaduais para a viação Kaissara, pertencente ao mesmo grupo rodoviário.

Viação Ouro e Prata oferece novas linhas para 5 Estados

Novos destinos rodoviários.

Novos destinos rodoviários.

Os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso ganharam novas linhas rodoviárias através do serviço da viação Ouro e Prata. A auto viação com sede no Rio Grande do Sul, oferece passagens rodoviárias com embarque do terminal rodoviário de Realeza, no Paraná, até municípios gaúchos como Tuparendi, Tucunduva, Tenente Portela e Palmitinho. O trajeto também conta com desembarque até as cidades de Caibi e Guarujá do Sul, em Santa Catarina. Quem mora em Cascavel (PR) poderá aproveitar os serviços da Ouro e Prata e seguir viagem até os municípios de Tuparendi, Tucunduva, Horizontina e Palmitinho. Há várias opções de saída pelo estado do Mato Grosso. As partidas podem ser reservadas de Campo Verde, Primavera do Leste, General Carneiro, Barra do Garças, Nova Xavantina, Água Boa, Serra Dourada e Canarana, ligando o estado localizado na região Centro-Oeste com Matogrosso do Sul, pelas cidades de Mundo Novo, Eldorado, Campo Grande, Bandeirantes, São Gabriel do Oeste, Rio Verde de Mato Grosso, Coxim e Sonora. A viação Ouro e Prata trabalha no transporte rodoviário de passageiros há mais de 70 décadas. Foi fundada na região noroeste do Rio Grande do Sul e hoje atende diversos estados brasileiros. A companhia faz parte do Grupo Ouro e Prata, e também trabalha com o transporte hidroviário de passageiros e no serviço de encomendas expressas.

Medidas sustentáveis
A viação Ouro e Prata é a primeira empresa rodoviária do Brasil a investir em um sistema bipartido das escovas que lavam os para-brisas dos veículos. A máquina que faz parte de um novo sistema de lavagem custou mais de R$ 145 mil, incluindo a renovação da pista de lavagem. O novo sistema dobrou a capacidade dos ônibus lavados simultaneamente, com uma economia de água de 50%. Além disso, parte da água utilizada para a limpeza, é captada da chuva, através de um reservatório de 35 mil litros. Após a utilização, a água é tratada na ETA (Estação de Tratamento de Água) e reaproveitada na máquina de lavar e no lava chassis.

Ônibus do Rio investem em tecnologia para garantir segurança

GPS

GPS

Empresas de transporte rodoviário que circulam nos bairros da capital carioca estão investindo em tecnologia de ponta para tornar as viagens rodoviárias mais seguras. Com a inovação, os veículos deixarão se ser alvo fácil dos bandidos e assim, o índice de assaltos deverá diminuir. Os ônibus estão sendo reforçados com um eficiente sistema de câmeras e monitoramento via GPS. Todos os veículos também terão um cofre inviolável (para guardar pequenas quantias em dinheiro pagas para passagens rodoviárias), já que o sistema de bilhetagem eletrônica é outro recurso utilizado para reduzir o manuseio de dinheiro dentro dos coletivos. As câmeras de última geração instaladas no interior do veículo não deixam nenhum indivíduo impune, gerando imagem de grande definição.

O rastreamento dos veículos por meio do GPS também ajuda reforçar a segurança dos passageiros, durante toda a viagem. Graças à tecnologia, é possível ter acesso a todas as informações sobre a rota percorrida pelos coletivos. Os dados serão monitorados por um operador que deve acionar a polícia assim que o veículo desviar da rota ou apresentar qualquer anomalia no trajeto. A tecnologia no processo de compra das passagens de ônibus é outro ponto favorável na segurança do sistema de transporte público das capitais. No Rio de Janeiro, a maior parte dos veículos que circula pela cidade já aderiu ao bilhete eletrônico, que dispensa o pagamento do bilhete na hora do embarque.

Segundo especialistas em segurança pública, quanto maior for o investimento em tecnologia para diminuir o uso de dinheiro dentro dos ônibus, menor será o índice de furtos e assaltos cometidos dentro dos veículos. Os passageiros de ônibus do Rio de Janeiro recarregam os bilhetes através do sistema RioCard. A boa notícia é que no Rio, a compra das passagens com dinheiro é bem inferior aos embarques com bilhete eletrônico. A tendência é que no futuro, não se aceite mais o dinheiro para viajar de ônibus. Além de seguras, as recargas eletrônicas são mais práticas. O pouco que é pago em dinheiro vai para o cobre que só a central tem acesso. Motoristas também são orientados a viajarem com o mínimo de dinheiro possível, além de transportá-los no cobre, para reduzir a circulação da moeda, e tornar os veículos menos atrativos aos criminosos.

Viação Itapemirim terá de pagar R$ 200 mil de indenização

Família de passageiro morto indeniza viação Itapemirim.

Família de passageiro morto indeniza viação Itapemirim.

A viação Itapemirim está sendo obrigada pela Justiça, a pagar R$ 200 mil de indenização à filha de um passageiro morto durante acidente de trânsito no município de Barro, a 451,8 km de Fortaleza. A tragédia aconteceu em 2004, ainda quando o estudante tinha 24 anos e estava a caminho da nomeação de um concurso que havia prestado e passado para Polícia Militar. Na ocasião, o ônibus trafegava pela BR 116 quando o motorista perdeu o controle de direção e caiu no açude chamado de Cipó. O acidente resultou na morte do jovem e de outras 42 pessoas. De acordo com determinação da justiça, além do valor contabilizado, correspondente a danos morais, a auto viação também deverá pagar uma pensão mensal de dois salários mínimos até a filha da vítima completar 25 anos, em 2026.

A filha, representada pela mãe recorreu os diretos na justiça pedindo indenização moral e material e tutela antecipada para que a companhia Itapemirim fosse obrigada a pagar pensão mensal. A processante declarou que ela e a filha possuem baixa renda e dependiam do sustento do pai. Mesmo diante dos fatos, a empresa de ônibus tentou se librar do processo, alegando não ter responsabilidade pelo acidente, solicitando improcedência. No processo concedido pelo juízo da 23ª Vara Cível de Fortaleza além do pagamento de dois salários mínimos e pensão em 2006, e mais o valor referente a danos morais, estava outra quantia de R$ 229.736,01 em reparação material. A companhia de transporte rodoviário interpôs apelação e destacou que o laudo do Instituto de Criminalística da Secretaria de Segurança Pública do Estado atestou que o acidente não foi de responsabilidade da empresa.

Foi por isso, que a tutela foi concedida em parte e o cumprimento dos danos matérias foi afastado pela 3ª Câmara Cível, sob relatoria do desembargador Washington Luís Bezerra de Araújo, que manteve parte da sentença. A viação mais antiga do Brasil afirma que não tem o dever de indenizar a família e considerou os valores apresentados, bem abusivos. A opinião também foi compartilhada em partes pelo magistrado, quem disse não ser coerente que a denunciante obtenha dupla reparação, podendo configurar enriquecimento sem causa.

Viação Cometa reforça frota para as festas de fim de ano

Viação Cometa tem uma das frotas mais modernas do Brasil.

Viação Cometa tem uma das frotas mais modernas do Brasil.

A viação Cometa contará com reforço especial nas linhas interestaduais de maior movimento, para dar conta da demanda nas festas de fim de ano. Com os veículos extras, destinos operados pela auto viação passarão a ter maior disponibilidade de horários na hora de atender os turistas, durante as últimas semanas do ano. A maior empresa de ônibus do Estado de São Paulo terá de trabalhar com força máxima nas próximas semanas, já que o volume de passagens rodoviárias vendidas nesta época do ano, chega a ser 50% mais intenso do que o movimento convencional. Segundo a direção da auto viação, os destinos mais acessados são Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Juiz de Fora (MG), Baixada Santista e São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.

Todos os destinos rodoviários, oferecidos pela Cometa deverão ter horários de ônibus ampliados neste final de ano, mesmo assim, a recomendação é não deixar as reservas para última hora, e comprar a passagem, pelo menos uma semana antes de viajar. As passagens de ônibus podem ser reservadas nos guichês da companhia, ou diretamente da internet. Se a opção for pela reserva no computador, é possível parcelar a compra em até 12 vezes sem juros, nos cartões de crédito e débito. Outra vantagem é que a própria viação Cometa disponibiliza um cartão exclusivo com sua marca em parceria com a Caixa Econômica Federal e a bandeira Mastercard. Com ele, o passageiro pode participar automaticamente do Programa Contagiro de Fidelidade, um programa de fidelização que gera pontos em compras de passagens efetuadas com cartões no site da empresa, e que podem ser trocados por viagens gratuitas.

Quem também pretende passar as férias de verão dentro de um cruzeiro, poderá embarcar com destino ao Porto de Santos. É preciso comprar as passagens rodoviárias com destino Ponta da Praia, nos horários às 6h20 e às 12h40. O trajeto tem saída do terminal Jabaquara, em São Paulo, com traslados da Ponta da Praia para o Porto sairão às 12h15, 13h45 e 15h. A Viação Cometa é uma das empresas mais tradicionais do Brasil, atuante desde 1948 com transporte rodoviário de passageiros em São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Empregados da viação Andorinha fazem protesto no Rio

Expresso Guanabara e outras companhia de ônibus estão investindo em novos veículos para viagens interestaduais.

Funcionários cobram direitos trabalhistas da Andorinha.

Mais de 200 empregados da viação Andorinha cruzaram os braços em protesto contra salários atrasados e outras reivindicações trabalhistas, no dia 3 de outubro, em frente à garagem da empresa rodoviária, localizada em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O grupo impediu a passagem dos veículos no local, logo pela manhã. Até o momento, nenhum ônibus da Andorinha havia circulado na capital carioca, e não havia registros de confusão no local. Sozinha, a viação Andorinha é capaz de integrar pelo menos 15 linhas rodoviárias com atuação em importantes bairros da cidade, como na Zona Oeste e Subúrbio da cidade. As linhas de ônibus onde se concentra o maior número de passageiros são atendidas pela companhia rodoviária nas paradas 391 (Padre Miguel – Carioca), 745 (Bangu – Cascadura), 746 (Jabour – Cascadura), 790 (Campo Grande – Cascadura) e 820 (Campo Grande – Bangu).

Sem saber do ocorrido, o secretário de transportes Alexandre Sansão só ficou sabendo da paralisação depois de ser informado por meio da Rio Ônibus. O sindicato que representa os quatro consórcios, que somam as 43 empresas em circulação na cidade, executou um plano B para minimizar os prejuízos causados pela interrupção das viagens rodoviárias da Andorinha. No dia da parada, como plano emergencial, linhas alternativas foram acionadas para atender a população. O consórcio responsável pelas ações da auto viações admitiu que a empresa não vem passando por um bom momento financeiramente, depois que teve de competir com o transporte rodoviário da Zona Oeste. Mesmo assim, representantes da Andorinha disseram que nenhum funcionário presente foi capaz de esclarecer ao certo, os motivos do protesto.

Os trens que circulam pela Supervia, em intervalos regulares, foram as melhores opções para quem precisou sair da Zona Oeste em direção ao Centro da capital. Há cinco meses, outras três paralisações de companhias rodoviárias prejudicaram a rotina de inúmeros moradores. Na ocasião, a greve chegou a interromper a circulação de 60% da frota municipal. Com atuação do sindicato, apenas 10% do dano causado era controlado. E o pior, dados das concessionárias também mostraram que 700 coletivos foram depredados neste período.

Atendimento e estorno são as maiores queixas contra viação Útil

Viaçao Util deve indenização

Reclamações na internet podem virar processos judiciais.

Se a sua passagem de ônibus já foi reservada e por causa de algum imprevisto você não irá mais embarcar, cancelar a viagem e recuperar o dinheiro em reservas feitas com a viação Útil pode virar um verdadeiro drama.
De acordo com levantamento feito pelo blog Auto Viações, de pelo menos dez reclamações feitas por usuários da empresa, oito são contra o atendimento precário e problemas na hora de realizar o estorno das tarifas.
Por casal da falta de comunicação entre o passageiro e membros da companhia de ônibus, muita gente se sente lesada quando procura os serviços da Útil.
Segundo uma das denúncias publicada em um site do consumidor, informações sobre o cancelamento da viagem que estão disponíveis no site oficial da auto viação são improcedentes.

Quando tentava recuperar o dinheiro de uma reserva, Rosana foi orientada por um atendente que apenas poderia reatar o valor pago se comparecesse na rodoviária pessoalmente. O processo, no entanto, não é que estava escrito no voucher impresso.  Tanto o bilhete rodoviário quanto o site garantiam o reembolso em um prazo de até três horas antes do embarque, sem ter que ir ao guichê de atendimento.
A falta de preparo e informação de quem trabalha no setor de atendimento da empresa também virou alvo dos consumidores. Para muitos, há falhas no sistema operacional que controla todo esse setor e corporativo desqualificado.
Há um ano, outra usuária dos serviços da companhia rodoviária também se queixou do atendimento que recebeu durante um embarque no Rio de Janeiro, na véspera de um feriado.

De acordo com a reclamação postada, por motivos de horário, a passageira queria antecipar o embarque utilizando o mesmo bilhete, mas se quer conseguiu se informar se o processo era possível. Além da falta de informação e da postura profissional inadequada do atendente, a usuária também disse que ele não soube responder por que havia diferença de preços entre veículos que faziam as mesmas linhas do local.
A viação Útil atua desde 1950 e hoje integra um grupo seleto composto pelas maiores empresas rodoviárias do Brasil e é líder de venda de passagens em cidades como Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo e Juiz de Fora.

Acidente da viação Catarinense deixa três mortos no Paraná

Pista ficou interditada por 3 horas.

Pista ficou interditada por 3 horas.

Um motorista e um passageiro da viação Catarinense e um caminheiro que transitava pela BR-277 em Prudentópolis, na região central do Paraná, morreram no dia 18 de março, às 3 horas, depois dos dois veículos se envolverem em um acidente.
Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) o caminhoneiro, que tinha destino programado para Ponta Grossa, perdeu o controle da direção quando um dos pneus furou e com isso chegou a tombar o caminhão na pista contrária. Com a obstrução, o motorista do ônibus não foi capaz de acionar os freios a tempo e acabou se chocando. Os dois motoristas e um passageiro da companhia de ônibus, Catarinense, morreram na hora.

Os passageiros que ficaram feridos foram encaminhados para os hospitais São Vicente e Pronto Atendimento de Guarapuava, para a Santa Casa de Irati, para a Santa Casa de Prudentópolis e Hospital Bom Jesus, em Ponta Grossa.
De acordo com informações de um dos policias, oito deles estão em estado greve no hospital.
Os tripulantes de ônibus realizaram o embarque em Foz do Iguaçu e iriam parar em Curitiba, na capital do Paraná.
Com o acidente, o local ficou completamente parado por pelo menos uma hora. Só às 4h30 é que os policiais conseguiram liberar parte do trecho com um desvio pelo acostamento da pista.

Para um dos passageiros, a equipe de socorro demorou muito para chegar ao local do acidente. Todos os feridos foram atendimentos pelo Corpo de Bombeiros.
Roberto Koch, 42 anos, que estava dentro do ônibus quando tudo aconteceu, reclama do atendimento e satisfação dada pela companhia rodoviária. “Viemos para o posto e nossas malas ficaram dentro do veículo. Até agora não sei se irão trazê-las aqui, ou se disponibilizarão um transporte rodoviário para os feridos retornarem”, desabafa.
Segundo pronunciamento da Viação Catarinense, foram encaminhados dois profissionais para prestar assistência a todas as vítimas do acidente.
O supervisor de tráfego da companhia, Flávio Camerini, disse que irá disponibilizar o transporte para que todos possam voltar à cidade onde moram, independente de não residirem no mesmo Estado. O serviço deve ser providenciado na medida em que os médicos liberarem os passageiros.

Mais de 80% dos paranaenses aprovam o transporte rodoviário

Com uma grande satisfação, mais de 80% dos paranaenses aprovam o transporte rodoviário interurbano, onde Paulo Milani, responsável pela DER (Departamento de Estradas de Rodagem) do estado, pode responder com toda a tranquilidade sobre a pesquisa efetivada entre março e abril (5000 pessoas), apontando os serviços de viagens do Paraná muito bons, tendo ainda 21% respondido não existir reclamações para os ônibus rodoviários. Essa avaliação mostrou ainda que as chateações maiores são de 26% com os valores dos bilhetes rodoviários altos e 18% ressalvando novos horários e mais números de coletivos estando à disposição para destinos regionais. De acordo com estas informações, o DER já se qualificou em adequar-se a um novo projeto, no qual irá contratar mais empresas para surgir uma carga de horários maior e futuras rotas.

Com o surgimento de mais auto viações atuando no mercado de transportes deste lugar, a oferta e a concorrência devem aumentar, deixando os passageiros com mais opções de companhias, saídas, promoções e preços menores. Nos dias atuais estão presentes 49 transportadoras viajando por 700 linhas em excelentes carros, com assentos superconfortáveis e refrigeração em quase toda a frota. As pessoas sempre souberam da qualidade oferecida, mas com a valorização do mercado aéreo no começo de 2000, muitos migraram para este sistema onde uma readequação de mais de 5.0000.000 de pessoas teve de ser repensada, mais uma vez.

Os preços das passagens aéreas já não são tão atraentes como antes e o atendimento costuma ter esperas em aeroportos e horários não são pontuais; nunca há realmente um controle. No caso das viagens rodoviárias, a precisão com horários de embarque e desembarque é sempre feita, sendo uma tradição já conhecida há muitas décadas. A rapidez nos procedimentos e a saída dos veículos pelos funcionários são sempre imediatas. É apostando nisso que o crescente deslocamento deve ser confirmado pela satisfação e as comodidades oferecidas, como modernas embarcações com mais horários noturnos (ir dormindo), sistemas de Wi-Fi, monitores de LCD e unidades com serviços de 1ª classe e executivo (Double Deck) são exemplos das inovações em que as empresas tendem a ofertar para os próximos tempos.