Ônibus do Rio investem em tecnologia para garantir segurança

GPS

GPS

Empresas de transporte rodoviário que circulam nos bairros da capital carioca estão investindo em tecnologia de ponta para tornar as viagens rodoviárias mais seguras. Com a inovação, os veículos deixarão se ser alvo fácil dos bandidos e assim, o índice de assaltos deverá diminuir. Os ônibus estão sendo reforçados com um eficiente sistema de câmeras e monitoramento via GPS. Todos os veículos também terão um cofre inviolável (para guardar pequenas quantias em dinheiro pagas para passagens rodoviárias), já que o sistema de bilhetagem eletrônica é outro recurso utilizado para reduzir o manuseio de dinheiro dentro dos coletivos. As câmeras de última geração instaladas no interior do veículo não deixam nenhum indivíduo impune, gerando imagem de grande definição.

O rastreamento dos veículos por meio do GPS também ajuda reforçar a segurança dos passageiros, durante toda a viagem. Graças à tecnologia, é possível ter acesso a todas as informações sobre a rota percorrida pelos coletivos. Os dados serão monitorados por um operador que deve acionar a polícia assim que o veículo desviar da rota ou apresentar qualquer anomalia no trajeto. A tecnologia no processo de compra das passagens de ônibus é outro ponto favorável na segurança do sistema de transporte público das capitais. No Rio de Janeiro, a maior parte dos veículos que circula pela cidade já aderiu ao bilhete eletrônico, que dispensa o pagamento do bilhete na hora do embarque.

Segundo especialistas em segurança pública, quanto maior for o investimento em tecnologia para diminuir o uso de dinheiro dentro dos ônibus, menor será o índice de furtos e assaltos cometidos dentro dos veículos. Os passageiros de ônibus do Rio de Janeiro recarregam os bilhetes através do sistema RioCard. A boa notícia é que no Rio, a compra das passagens com dinheiro é bem inferior aos embarques com bilhete eletrônico. A tendência é que no futuro, não se aceite mais o dinheiro para viajar de ônibus. Além de seguras, as recargas eletrônicas são mais práticas. O pouco que é pago em dinheiro vai para o cobre que só a central tem acesso. Motoristas também são orientados a viajarem com o mínimo de dinheiro possível, além de transportá-los no cobre, para reduzir a circulação da moeda, e tornar os veículos menos atrativos aos criminosos.

Auto Viação de São Paulo concorre licitação em Porto Velho

Licitação ficou interrompida, com ação judicial.

Licitação ficou interrompida, com ação judicial.

A companhia de ônibus Ocimar Comércio de Automóveis, com sede em Taboão da Serra (SP) está disputando a concorrência de contrato emergencial para poder operar no transporte público da capital de Rondônia. A licitação promovida pela prefeitura de Porto Velho prevê um contrato de apenas seis meses que poderá ser prorrogado para mais seis, totalizando o valor de R$ 27 milhões para cuidar do transporte coletivo da cidade. Essa ainda não é a contratação definitiva da nova auto viação que irá integrar o sistema de transporte rodoviário da capital. Além da empresa paulista, a companhia Ideal Locadora de Equipamentos, de Porto Velho também está na disputa. O que chamou a atenção da prefeitura foi que a Ocimar Comércio de Automóveis foi a única viação a se apresentar do primeiro chamamento público realizado pela Secretaria Municipal de Administração (Semad).

Apesar do interesse, a empresa foi desclassifica porque não apresentou o carimbo da Junta Comercial, na hora de se credenciar. A primeira etapa só serve para as empresas apresentarem toda a documentação exigida no edital. A fase seguinte é constituída de visita técnica e apresentação das propostas. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito de Porto Velho, saí vendedor na disputa quem tiver a frota mais renovada, com boa estrutura, acessibilidade à portadores de deficiência física e outros quesitos. As empresas Três Marias e Rio Madeira, que atendem atualmente a população pararam de circular no dia 24 de abril.

Enquanto vigora o contrato emergencial, a prefeitura deve se mexer para por em prática o novo processo de concessão definitiva que credenciará a nova auto viação de transporte público da cidade. Alegando estarem sendo vítimas de perseguição politicas, as empresas que já atuavam na cidade recorreram ao poder judiciário para pedir suspensão ao decreto que as tirou das ruas. Elas acreditam que tiveram seus contratos interrompidos depois que pediram na Justiça um reajuste no valor das passagens rodoviárias. O processo de escolha para as novas empresas rodoviárias de transporte coletivo chegou a ser interrompido, mas o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) conseguiu um efeito suspensivo para que a licitação continuasse.

Viação Cometa testa linha interestadual em Jundiaí

Cometa disponibiliza 12 horários de ônibus para São Paulo.

Cometa disponibiliza 12 horários de ônibus para São Paulo.

Vai completar um mês que os moradores dos bairros Eloy Chaves, Medeiros e região, estão testando uma linha de ônibus interestadual da viação Cometa, com destino a São Paulo. Desde a metade do mês passado, a companhia rodoviária disponibilizou 12 horários de ônibus para quem mora em Jundiaí e quer desembarcar na capital paulista. Por enquanto, tudo não passa de uma experiência. Segundo a administração da auto viação, só depois de dois meses de testes é que a empresa poderá avaliar os resultados e decidir se realmente irá manter o serviço no local. Até a expansão chegar, a Cometa já era responsável pelo transporte mensal de pelo menos 120 mil passageiros de Jundiaí até São Paulo.

Agora a intenção é ampliar esse número em 5%. A linha experimental começa a transportar passageiros do Aeroporto de Jundiaí, seguindo para o terminal rodoviário Eloy Chaves, com destino as rodoviárias de São Paulo. O trajeto é mais movimentado no período da manhã, e a tarde para quem faz o percurso ao contrário. Além dos ônibus regulares, a companhia Cometa também oferece 13 carros para o transporte de fretamento entre o município paulista e a capital. O serviço extra instalado na cidade, tem motivos comerciais, já que recentemente, Jundiaí lançou importantes empreendimentos imobiliários para classe média e alta. Com os investimentos no local, outros segmentos relacionamentos ao transporte público também se mexeram para atender a nova demanda.

A Cometa sabe que oferecer apenas uma linhas rodoviária no local não é suficiente para satisfazer a maioria da população. Exigentes, os clientes buscam facilidade e conforto o tempo todo, por isso, a empresa já estuda a integração de novos recursos junto a disponibilidade da viagem rodoviária. As reservas online e o sistema de bilhetagem eletrônica não estão destacados do projeto. Quem depende do serviço rodoviário para viajar com frequência está gostando da novidade. É o caso do aposentado Márcio Cantaga, de 69 anos. Ele mora no bairro há dois anos e diz ser a favor da nova linha da Cometa, justamente por não ter que embarcar em vários ônibus para chegar no destino desejado.