Auto Viação de São Paulo concorre licitação em Porto Velho

Licitação ficou interrompida, com ação judicial.

Licitação ficou interrompida, com ação judicial.

A companhia de ônibus Ocimar Comércio de Automóveis, com sede em Taboão da Serra (SP) está disputando a concorrência de contrato emergencial para poder operar no transporte público da capital de Rondônia. A licitação promovida pela prefeitura de Porto Velho prevê um contrato de apenas seis meses que poderá ser prorrogado para mais seis, totalizando o valor de R$ 27 milhões para cuidar do transporte coletivo da cidade. Essa ainda não é a contratação definitiva da nova auto viação que irá integrar o sistema de transporte rodoviário da capital. Além da empresa paulista, a companhia Ideal Locadora de Equipamentos, de Porto Velho também está na disputa. O que chamou a atenção da prefeitura foi que a Ocimar Comércio de Automóveis foi a única viação a se apresentar do primeiro chamamento público realizado pela Secretaria Municipal de Administração (Semad).

Apesar do interesse, a empresa foi desclassifica porque não apresentou o carimbo da Junta Comercial, na hora de se credenciar. A primeira etapa só serve para as empresas apresentarem toda a documentação exigida no edital. A fase seguinte é constituída de visita técnica e apresentação das propostas. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito de Porto Velho, saí vendedor na disputa quem tiver a frota mais renovada, com boa estrutura, acessibilidade à portadores de deficiência física e outros quesitos. As empresas Três Marias e Rio Madeira, que atendem atualmente a população pararam de circular no dia 24 de abril.

Enquanto vigora o contrato emergencial, a prefeitura deve se mexer para por em prática o novo processo de concessão definitiva que credenciará a nova auto viação de transporte público da cidade. Alegando estarem sendo vítimas de perseguição politicas, as empresas que já atuavam na cidade recorreram ao poder judiciário para pedir suspensão ao decreto que as tirou das ruas. Elas acreditam que tiveram seus contratos interrompidos depois que pediram na Justiça um reajuste no valor das passagens rodoviárias. O processo de escolha para as novas empresas rodoviárias de transporte coletivo chegou a ser interrompido, mas o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) conseguiu um efeito suspensivo para que a licitação continuasse.

Companhia de ônibus pratica irregulares em embarque de idosos

Idosos tem direto a passagens de ônibus gratuitas.

Idosos tem direto a passagens de ônibus gratuitas.

O aposentado Edivaldo Hernandes, de 67 anos, comprovou que nem todas as companhias de ônibus do Brasil estão cumprindo seu dever na hora de garantir a gratuidade aos idosos com mais de 60 anos. Ao tentar embarcar em um dos ônibus interestaduais de uma famosa auto viação, Hernandes que também não recebe mais do que dois salários mínimos no final do mês, teve dificuldades para conseguir o beneficio. Ele é só mais um dos idosos insatisfeitos que reforçam a lista de irregularidades praticadas por empresas de ônibus intermunicipais e interestaduais. Muitas estão desobedecendo à legislação prevista no Estatuto do Idoso, há mais de 10 anos.

Em todo território nacional quem tem mais de 60 anos e recebe até dois salários mínimos tem direito a viajar de graça, mesmo que o embarque seja realizado em um ônibus interestadual. Nesta condição, as auto viações são obrigadas a reservar duas poltronas por veículo para os idosos. Se elas já tiverem sido ocupadas, o beneficiário ainda pode adquirir a passagem rodoviária pela metade do preço praticado nos guichês da rodoviária ou em sites especializados na venda de passagens. A lei apenas exige que, na hora da compra, o idoso apresente um documento de identidade com foto, além de um comprovante de renda. O importante é não se atrasar e chegar ao terminal rodoviário três horas antes do embarque desejado. O tempo é suficiente para garantir a acomodação em uma das duas poltronas livres, porém insuficiente para garantir descontos de 50% na hora de retirar o voucher de embarque.

Nesses casos, é preciso chegar ao terminal rodoviário de seis a 12 horas antes da viagem. Perante a lei, qualquer outra condição imposta pelas empresas rodoviárias que não seja as mesmas apontadas na lei ou no decreto de lei, é caracterizada como ato ilegal. Portanto é importante ficar atento, principalmente se alguma auto viação estiver fazendo imposições para oferecer o benefício e se negar a vender o bilhete no ato, estipulando filas de espera, prazos ou exigências de outras documentações para poder liberar o embarque. Acesse o link http://queropassagem.com.br/blog/saiba-tudo-sobre-as-passagens-gratuitas-para-idosos/ para saber mais sobre o tema.

União da viação São Geraldo com Gontijo supera concorrência

Viação Gontijo arca com dívida milionária.

Viação Gontijo arca com dívida milionária.

A união entre a viação São Geraldo e a Gontijo Transportes está desbancando operações rodoviárias de fortes concorrentes, como é o caso da viação Itapemirim. Graças à aquisição feita pelo grupo da Gontijo, conhecida por atuar em linhas interestaduais entre São Paulo e Minas Gerais, além de estar presente em Goiás e na Bahia, colocou as atividades das duas auto viações no topo do ranking das maiores empresas de transporte rodoviário do país. Ambas as empresas estão sediadas em Belo Horizonte, e já possuem importantes conexões entre municípios do estado mineiro com outras paradas pela região sudeste do Brasil. Tida como a maior negociação da década, a incorporação da Cometa pelo Grupo 1001 custou aos investidores mais de R$ 130 milhões, no começo de 2012.

O negócio milionário previa receita líquida de no mínimo R$ 202 milhões. Valor inferior aos números envolvendo a negociação entre as duas companhias de ônibus mineiras. Segundo levantamento divulgado pela revista Transporte Moderno, há mais de 10 anos, a companhia São Geraldo e a viação Gontijo haviam se classificado entre as três maiores empresas do setor no Brasil, ficando apenas atrás da poderosa Itapemirim. Além da máquina de fazer dinheiro, as duas viações também são verdadeiros imãs de transportar passageiros. Em média, ambas levam mais de oito milhões ao seu destino, anualmente. As duas frotas rodoviárias somam mais de dois mil veículos modernos.

De acordo com a norma estipulada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), uma empresa de transporte interestadual não pode operar com mais do que 20% das linhas disponíveis no território nacional. Para se ter uma ideia, só a Itapemirim tem 12,10% de participação no número de passageiros por quilômetro transportado, a frente da São Geraldo com 7,87% e da Gontijo com 6,64%. A “amarelinha” já representava desde 2001, 9,07% de todos os veículos rodoviários em circulação, número inferior se somado com a frota das duas empresas rodoviárias de Minas Gerais. Para poder fechar o negócio, a viação Gontijo teve que arcar com uma dívida de a 44,45% do ativo total, no valor de R$ 303,547 milhões, deixada pela São Geraldo.

Atraso em viagem da viação Itapemirim gera indenização

Viação Itapemirim foi condenado por atraso.

Viação Itapemirim foi condenado por atraso.

A viação Itapemirim foi condenada pela juíza do 7º Juizado Especial Cível de Brasília a pagar a um passageiro valor a título de indenização por danos morais. Segundo consta na sentença, a auto viação teria atrasado mais de cinco horas na chegada ao destino, prejudicando o compromisso que o usuário teria em Belo Horizonte. O passageiro embarcou em um ônibus da Itapemirim do terminal rodoviário de Brasília com destino a capital de Minas Ferais para participar da XXX Edição dos Jogos Acadêmicos de Policiais e Bombeiros Militares do Brasil. Para azar do participante e da própria empresa de ônibus, o veículo apresentou falha mecânica e só desembarcou na rodoviária de Belo Horizonte mais de cinco horas depois do previsto.

Com o atraso, o passageiro não chegou ao evento a tempo e teve sua participação cancelada. Livre para apresentar sua contestação de defesa, em um prazo determinado, a companhia rodoviária Itapemirim, se calou, dando veracidade aos fatos apresentados pelo cliente. Para o juiz, os problemas apresentados na operação do veículo, que ocasionaram no longo atraso até o desembarque programado, frustrou a expectativa do consumidor de obter a prestação de serviço conforme previsão inserta no contrato de transporte. É por isso, que ficou evidenciada a falha na prestação de serviços e o passageiro deverá ser indenizado, segundo artigo 14 do CDC – Código de Defesa do Consumidor. Segundo o artigo, o correto é ressarcir o passageiro pelos prejuízos por ele sofridos.

O processo também se apega no fato de que, conforme foi percebido o problema, durante a viagem rodoviária, há medida em que o atraso ia aumentando, o passageiro passou a sentir ansiedade, angústias, inseguranças, aflição e desconforto que ultrapassam a esfera da normalidade, atingindo os direitos de personalidade do autor, razão pela qual a condenação da requerida a reparar o dano moral por ele sofrido é medida que se impõe. Diante dos fatos, a empresa rodoviária deverá pagar uma boa quantia imposta por lei. Se a moda pegar, essa e outras companhias de ônibus podem ter problemas, já que falhas mecânicas são comuns quando se opera em linhas interestaduais de longa distância.

Viação Itapemirim reforçará frota nas capitais durante a Copa

Itapemirim reforçará frota em Copa

Itapemirim reforçará frota em Copa

As capitais brasileiras que recebem o serviço rodoviário da viação Itapemirim deverão ver vários ônibus extras pelas ruas, durante os jogos da Copa do Mundo. Ela e outras empresas rodoviárias que realizam viagens interestaduais pelo país terão que se virar para compensar a grande procura por passagens de ônibus durante o evento.
Só em Curitiba, na capital do Paraná, a Urbanização da cidade, a Urbs garantiu que irá ampliar o número de trajetos rodoviários próximos a Arena da Baixada, além da criação de cinco linhas especiais, sendo que três delas não serão cobradas para quem desembarcar na capital a fim de torcer pela seleção brasileira. O estádio foi um dos escolhidos para receber jogos da competição da FIFA.

Quem pretende circular no centro da cidade e ir até a Arena para assistir as partidas, poderá embarcar em um dos ônibus Circular Copa, que terá embarque tarifado no valor das auto viações convencionais, sem passar dos R$ 2,70.
Outro veículo rodoviário deve ir às ruas para ligar o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, com o Terminal Boqueirão, sem interrupções. O nome desse modal é Especial Aeroporto-Boqueirão.
Por este terminal rodoviário é possível pegar um ônibus biarticulado para viajar até o estádio. O percurso será reforçado durante o dia todo.
Linhas que garantem a locomoção de curitibanos em bairros internos da cidade também receberão mais ônibus em junho e julho deste ano.

A linha Unicuritiba I e II e PUC-PR levarão os passageiros até estacionamentos credenciados pela federação internacional de futebol e não cobram nada pelas passagens rodoviárias.
Além dos jogos, a Fun Fest organizada pela FIFA também contará com reforço nas linhas rodoviárias.
Em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde são aguardados o maior número de turistas de dentro e fora do Brasil, novas operações de apoio serão praticadas em dias do torneio.
A companhia de ônibus Itapemirim circula nas capitais de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco, Distrito Federal, Espirito Santo, Bahia, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ceará, Paraíba, Alagoas, Piauí, Goiás, Maranhão e Sergipe.

Empresas rodoviárias de Brasília entregam mais 80 ônibus

Empresas rodoviárias de Brasília

Empresas rodoviárias vencedoras da licitação dos transportes do Governo do Distrito Federal, no lote de número dois, acabam de entregar ao município de Brasília, 80 ônibus zero km. A entrega dos veículos aconteceu em uma quarta-feira, no dia 28 de março e veio ampliar a frota municipal responsável pelo atendimento a 28 linhas nos arredores da região do São Sebastião. A licitação conquistada pela companhia de ônibus brasiliense é referente a operação no Lago Sul, Jardim Botânico, Candangolândia, Santa Maria, Gama, Park Way, Itapoã e Paranaguá. Todos esses bairros deverão ser beneficiados com a renovação das frotas de suas empresas de transporte público.

Além dos veículos fornecidos pela viação Pioneira, mais 40 unidades dos coletivos de viagens já circulam desde julho em Itapoã e Paranaguá. Os novos veículos públicos disponíveis desde março possuem uma novidade importante. Todos respeitam as normas de combate à poluição impostas pelo Euro V e por isso são considerados os modelos mais atuais do mercado. A carroceria é fabricada pela Comil, modelo Svelto, chassi Mercedes Benz OF 1721 Euro V, e oferece muita comodidade, conforto e acesso aos passageiros com mobilidade reduzida. A empresa Comil, responsável pelas carrocerias dos ônibus, já vendeu mais de 450 ônibus rodoviários à companhia do Distrito Federal. Do total de coletivos comercializados, 397 são do modelo convencional e 69 são micros, do modelo Piá.

Mesmo com o investimento por parte da empresa concessionária, O Ministério Público está investigando as ações e analisando as condições que levaram a viação Pioneira e a viação Piracicabana, detentora das demais linhas do lote um, a saírem vitoriosas na licitação do Estado. Mesmo sendo independentes e não responderem ao mesmo grupo empresarial, as duas companhias são gerenciadas por familiares e pessoas próximas a Constantino de Oliveira, o fundador da Gol Linhas Aéreas e por isso deram margem a investigação. Se a apuração do Ministério Público apontar que as duas companhias de ônibus contrastaram com o que é previsto pelo edital de licitação é possível que ambas percam o direito de operar em Brasília, mesmo não tendo ligação entre suas administrações.

Visual e conforto das empresas rodoviárias

As empresas rodoviárias responsáveis por viagens cada vez mais estão em alta e realmente de parabéns dos novos paradigmas. São especialmente 27 auto viações de todo o Brasil aproveitando o momento do país o qual se encontra positivo no Turismo e as novas possibilidades aos viajantes nacionais e internacionais. As etapas de se realizar um passeio em expressos tem sido motivadas pelo triste funcionamento dos aeroportos e companhias aéreas, em destaque em recessos e por elevadas taxas a quem não pode fazer reservas antecipadas de até 2 meses, para se ter preços justos.

As empresas de ônibus mantêm valores menores, atualmente facilitados por compras via internet, disparando na frente no quesito preço. Nos últimos anos, os coletivos de viagens especiais concorrem diretamente com aviões, tendo valores de até 66% mais barateados, por isso há maior consolidação certamente deste tipo de transporte. Em vista dessa nova posição, as viações tem saído na frente no design de suas rodonaves, expondo a competição entre as mesmas, trazendo o maior conforto possível, fator ideal na escolha. O conforto de se ter uma poltrona transformável em cama, sinceramente melhor daqueles assentos de aeronaves comuns, muito espaçosos e alguns casos, apenas uma fileira de poltronas, sem vizinhos. As melhorias estão ainda na possibilidade de se assistir filmes, ouvir rádio e sistema de wi-fi interno (GTVs da Viação Cometa). As unidades são refrigeradas e possuem cobertas, na melhor comodidade.

O design das carrocerias e chassis tem se destacado na modernidade do século XXI. Em modelos desenhados de melhor aerodinâmica, segurança nas trepidações de pistas, mais estabilidade e tecnologia, atraem mais tripulantes. Logomarcas mais modernizadas, caracterização dos veículos na total diferenciação (convencionais, executivos e especiais) abordam temas como obras de arte e de eventos acontecidos. Um estaque inconfundível são os admiráveis transportes da Viação Itapemirim, de janelas panorâmicas (apenas uma grande janela lateral, sem divisórias) e a sua cor amarela, única e visível há grandes espaços de distância, chamando sempre muita atenção. Todas as empresas capricham na diferenciação que certamente vai formar boa impressão, uma imagem única. Realmente estabelecer a confiança é o objetivo de todas e também dar aos viajantes um passeio calmo e a certeza de uma volta a utilizar os serviços numa próxima vez.