Atraso em viagem da viação Itapemirim gera indenização

Viação Itapemirim foi condenado por atraso.

Viação Itapemirim foi condenado por atraso.

A viação Itapemirim foi condenada pela juíza do 7º Juizado Especial Cível de Brasília a pagar a um passageiro valor a título de indenização por danos morais. Segundo consta na sentença, a auto viação teria atrasado mais de cinco horas na chegada ao destino, prejudicando o compromisso que o usuário teria em Belo Horizonte. O passageiro embarcou em um ônibus da Itapemirim do terminal rodoviário de Brasília com destino a capital de Minas Ferais para participar da XXX Edição dos Jogos Acadêmicos de Policiais e Bombeiros Militares do Brasil. Para azar do participante e da própria empresa de ônibus, o veículo apresentou falha mecânica e só desembarcou na rodoviária de Belo Horizonte mais de cinco horas depois do previsto.

Com o atraso, o passageiro não chegou ao evento a tempo e teve sua participação cancelada. Livre para apresentar sua contestação de defesa, em um prazo determinado, a companhia rodoviária Itapemirim, se calou, dando veracidade aos fatos apresentados pelo cliente. Para o juiz, os problemas apresentados na operação do veículo, que ocasionaram no longo atraso até o desembarque programado, frustrou a expectativa do consumidor de obter a prestação de serviço conforme previsão inserta no contrato de transporte. É por isso, que ficou evidenciada a falha na prestação de serviços e o passageiro deverá ser indenizado, segundo artigo 14 do CDC – Código de Defesa do Consumidor. Segundo o artigo, o correto é ressarcir o passageiro pelos prejuízos por ele sofridos.

O processo também se apega no fato de que, conforme foi percebido o problema, durante a viagem rodoviária, há medida em que o atraso ia aumentando, o passageiro passou a sentir ansiedade, angústias, inseguranças, aflição e desconforto que ultrapassam a esfera da normalidade, atingindo os direitos de personalidade do autor, razão pela qual a condenação da requerida a reparar o dano moral por ele sofrido é medida que se impõe. Diante dos fatos, a empresa rodoviária deverá pagar uma boa quantia imposta por lei. Se a moda pegar, essa e outras companhias de ônibus podem ter problemas, já que falhas mecânicas são comuns quando se opera em linhas interestaduais de longa distância.

Viação Itapemirim vende passagens internacionais em site estrangeiro

Parceria entre sites garante viagens internacionais.

Parceria entre sites garante viagens internacionais.

A viação Itapemirim e a companhia Pluma famosa por transportar argentinos, paraguaios e chiles em viagens para dentro e fora do Brasil, venderam centenas de passagens de ônibus internacionais durante a Copa do Mundo, através de um e-commerce estrangeiro. O site com o nome de Plataforma 10 fez uma parceria com as empresas brasileiras para oferecer aos internautas que estavam interessados em acompanhar os jogos da Copa, viagens de ônibus de Buenos Aires para o Rio de Janeiro, com embarques diários.

Com a procura em alta, o trajeto que dura cerca de 40 horas aqueceu as vendas internacionais do site estrangeiro que registrou aumento de 82% nas reservas rodoviárias até o Rio de Janeiro e 20% para os que desembarcaram em São Paulo. Assim como aconteceu no Brasil, os vizinhos sul-americanos mais interessados em vir para as cidades-sede da competição foram os argentinos. Eles corresponderam 94,8% do tráfego registrado pelo site depois que a seleção do país estava classificada para a final do torneio da Fifa, esgotando as reservas rodoviárias disponíveis no site entre quinta e sexta-feira da mesma semana. O site que tem foco na venda de bilhetes internacionais, oferece no total, mais de dois mil destinos entre os países da América do Sul: Brasil, Chile, Argentina, Paraguai e Bolívia.

Por causa da Copa do Mundo, só neste ano, a startup chegou a disponibilizar em seu buscador online mais de 300 trechos rodoviários do Brasil com viagens a bordo de ônibus Executivos e Leito. As cidades brasileiras mais procuradas pelos estrangeiros foram: Porto Alegre, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília, Bahia e São Paulo. Graças à parceria que fez com empresas de ônibus do Brasil, o plataforma 10 também reservou grande número de passagens de ônibus de São Paulo para Rio de Janeiro e outras viagens interestaduais do Brasil, como Curitiba até Porto Alegre e Foz do Iguaçu para São Paulo. A agência de turismo na internet tem certificação ISSO 9001 e também facilita a compra de bilhetes rodoviários através de tabletes e celulares com internet, nos mesmos moldes de sites que vendem passagens aqui no nosso país.

Licitação de linhas rodoviárias pode prejudicar viação Itapemirim

Itapemirim vende companhias para quitar dívida.

Itapemirim vende companhias para quitar dívida.

Novas licitações que serão realizadas pelo Governo Federal até final do ano que vem, podem agravar os problemas financeiros de uma das maiores companhias de ônibus do Brasil. Fundada em 1953, a viação Itapemirim corre o risco de perder suas melhores linhas rodoviárias e sofrer baixas em rotas comercializadas com valores das passagens de ônibus acima da concorrência. Com a intervenção do Governo, pelo menos 1600 trajetos de ônibus interestaduais passaram a ser disputados novamente. Ganha o direito de operar em determinado destino, a companhia rodoviária que apresentar o preço da passagem mais barato. Para isso vai ser preciso reduzir as margens de lucro conquistas com a venda dos bilhetes.

Segundo o secretário de Política Nacional de Transportes, Marcelo Perrupato, empresas de ônibus mal gerenciadas e com problemas financeiros dificilmente conseguiram participar da licitação. Apesar de ter transportado mais de 3.2 milhões de passageiros só no ano passado, os prejuízos da companhia Itapemirim ainda são grandes. Desde os últimos dez anos, a empresa vem travando uma verdadeira batalha para quitar uma dívida de cerca de 200 milhões de reais. Em 2013 chegou a desembolsar R$ 37 milhões em juros e encargos e teve que aprender a ligar com as quedas nas vendas das passagens.

De 2007 pra cá, concorrentes como a viação Águia Branca e a Cometa tiveram salto significativo no número de clientes. O reflexo das dificuldades administrativas, já se vê na frota de ônibus, considerada uma das mais ultrapassados do país, com idade média de dez anos. Com medo das mudanças no setor rodoviário, a direção da Itapemirim decidiu se desfazer de parte de seus negócios para tentar se reerguer. Há pouco tempo já vendeu uma garagem que tinha no Distrito Federal, repassou duas empresas de ônibus secundárias a um grupo de investidores, e dispões de dois terminais de carga, localizados no Rio de Janeiro e em São Paulo. Com o dinheiro obtido, a viação pagou parte da dívida e começou a investir em novos ônibus, e outros negócios paralelos. É esperado que ainda no final desse ano, a empresa consiga atingir lucros de R$ 19 milhões.

Embarque na Viação Catarinense aumenta 70% no Natal e Ano Novo

Natal e Ano Novo registraram 70% de aumento nas vendas de passagens de ônibus pela viação Catarinense.

viação catarinense volta ao ritmo normal

Ao contrário do que aconteceu na maioria dos ônibus urbanos que circulam nas principais capitais do Brasil, o primeiro mês de 2014 começou bem para a Viação Catarinense.
De acordo com o agente de viagens da companhia de transporte rodoviário, Luiz Fernando Dutra Longui, o movimento registrado entre o Natal de 2013 e o Ano Novo deste ano, foi superior a 70% do fluxo atendido durante os demais meses do ano. O registro bateu recorde de vendas de passagens e superou as expectativas de toda a direção. Até outras empresas de ônibus localizadas entre Santa Catarina e o Rio Grande do Sul, como é o caso da viação Unesul, foi obrigada a ampliar o número de linhas extras para o final de ano.

A maior procura de passagens vendidas por essas companhias, além das próprias viagens feitas dentro do estado do Paraná, foram os trajetos até Florianópolis (SC), como destino final. Agora, o movimento nas plataformas de embarque dos terminais rodoviários do sul, está normalizado.
Apesar de a viação Catarinense registrar o bom momento, há também aqueles que não têm muito do que comemorar.
Depois de muita gente aproveitar as férias coletivas e se refugiar para o litoral, empresas de ônibus que operam em linhas intermunicipais tiveram que se contentar com o movimento fraco. Mesmo com o fim do descanso, as mudanças no relógio e a adaptação para voltar a rotina de trabalho ainda prejudica o setor rodoviário de algumas cidades.

Hospitais e casas de repouso em Curitiba, também marcaram movimentos bem mais fracos durante as primeiras semanas de 2014. O número de acidentes foi menor do que o ano passado, assim como o número de internações e registro de atendimentos feitos na Emergência.
A auto viação Curitibanos, que atende os passageiros de ônibus da cidade de Curitiba também sofreu com a virada do ano. A empresa amargou uma redução de 20% no número de passagens vendidas, só no final do ano passado.
Além das férias, linhas rodoviárias, como a Universidade Federal de Santa Catarina e a área industrial foram suspensas contribuindo para queda de passageiros neste período.

Prefeitura quer baixar lucros das viaçoes rodoviarias em SP

 Baixas lucros auto viações

Se depender da prefeitura de São Paulo o lucro das viaçoes rodoviarias que operam na maior cidade do país vai ser menor. De acordo com o prefeito Fernando Haddad, o fim de alguns contratos com companhias de ônibus reacendeu a chance de rever tarifas e negociar novos lucros gerados em comissões. A ideia é promover o debate para que os acordos se tornem possíveis. Até o momento, empresários que administram frotas de veículos públicos estão lucrando pouco mais do que 7% em toda a arrecadação mensal. Apesar disso quando é realizadas melhorias nos ônibus o valor desses lucros chega dobrar.

Foi por causa das manifestações nas ruas e os protestos contra o aumento nas passagens de ônibus e melhores condições nos serviços de transporte público que a prefeitura preferiu cancelar a licitação das empresas de ônibus e das cooperativas. Os contratos somam R$ 46,4 bilhões e correspondem a dez anos de atividade para as cooperativas e outros quinze destinados as companhias de transporte rodoviário. A renovação do contrato para este tipo de categoria que já dura desde ultima década é o que motivou a negociação. Na época a situação do Brasil se encontrava em um ambiente mais favorável.

Segundo Haddad a justificativa para rever os lucros exigidos pelas empresas de ônibus está na taxa de juros cobrada há dez anos. “Na época que o contrato foi assinado era uma época que a taxa de juros estava na casa de 25%. Essa realidade mudou então não podemos aceitar uma taxa de retorno igual aquela do inicio do contrato”, falou em coletiva. Junto com os juros, o número de passageiros e usuários do serviço de transporte público também subiu registrando aumento de 16%. Antes eram 2,5 bilhões de passageiros, agora são 2,9 bilhões todos os anos. A construção de estações de metrô na linha 4 Amarela, sentido Butantã e Luz diminuiu a procura por ônibus entre os anos de 2011 a 2012 em 0,81%. Até agora o prazo para realizar nova licitação está indefinido tão quanto os novos valores que serão negociados como lucro das empresas de coletivos de viagens.

Viaçoes rodoviarias querem baixar a tarifa de ônibus

Tarifas menores passagens de ônibus

Empresários de viaçoes rodoviarias de São Paulo se reúnem no final desta semana para pedir ao governo de Dilma Rousseff a diminuição no valor cobrado pelo óleo diesel como subsídio para reduzir o preço das tarifas dos ônibus. Enquanto as manifestações forçam os governos a cederem às reduções, as companhias também se mexem. De acordo com o presidente da ATP – Associação dos Transportadores de Passageiros de São Paulo, Enio Roberto dos Reis, mais duas medidas serão apresentadas para auxiliar na diminuição dos valores. Entre elas estão: corte nas cobranças de encargos sociais da folha de pagamento da empresas. Eles não querem mexer no salário de seus funcionários, mas sugerem que os impostos possam ser menores.

A diminuição do ICMS cobrado no chassi e na carroceria dos coletivos de viagens é a alternativa proposta pelas associação dos transportes. As ideias deveram ser debatidas no Seminário Nacional 2013 — Mobilidade Sustentável Urbana para um Brasil Competitivo, por Enio Reis. Se as empresas conseguirem o que estão pedindo além de custear as despesas que tem com as peças e os equipamentos dos coletivos, praticamente compensará os valores perdidos com a diminuição das passagens. Aproximadamente 90% do prejuízo deve ser sanado. Na visão da ATP, a capital do Estado de São Paulo é uma das cidades que mais promove benefícios no transporte brasileiro.

Segundo dados da associação, 33% de todos os usuários das companhias de transporte associadas não pagam nada pela passagem. Só as meia passagens fornecidas aos estudantes representa uma perda de R$ 4,3 milhões por mês. O embarque de passageiros com idades acima dos 60 anos e pessoas mais carentes que comprovam rende de até três salários mínimos também pesam para as companhias. Os carteiros também é outra categoria que está isenta das tarifas, mas que por outro lado não contribui com os custos de operação do transporte rodoviário. Em Porto Alegre, as tarifas de ônibus são uma das mais caras do Brasil e é por isso que o Ministério Público de Contas quer investigar qual é o lucro líquido das empresas. As empresas de ônibus informam que o lucro está no total previsto, nos valores de 6,33% da tarifa, porém dados do Tribunal de Contas do Estado apontaram dados de até 19% de lucros para algumas operadoras do Sul.

 

Empresa de ônibus – Ônibus Brasil e a política

Empresas de ônibus do Brasil

Sindicatos e empresas de onibus – onibus brasil apontam questionamentos sobre até que ponto rígidas regras impostas pelos órgãos licitatórios podem influenciar positivamente no desempenho e qualidade dos serviços rodoviários. Devido à forte imposição dos meios de comunicação em relatos de acidentes e problemas de infraestrutura relacionados ao transporte coletivos, prefeituras de grandes cidades como é o caso de São Paulo e Rio de Janeiro querem fazem vista grossa na fiscalização e determinação das regras sobre as companhias de ônibus e seus motoristas. No Rio já funciona um novo documento com novas normas para serem seguidas por estes profissionais. Segundo relatos de companhias de transporte algumas dessas novas medidas são muito severas e não aparentam ter o objetivo focado em melhorias.

Um desses casos é a demissão estabelecida para motoristas que avançar o sinal vermelho por três vezes. O problema é que além da demissão, a norma impede que ele busque emprego em outra empresa de ônibus. Além de não respeitarem a parada no semáforo, as infrações mais cometidas pelos motoristas no Rio de Janeiro são aquelas que estão ligadas ao rendimento nas viagens coletivas, como não parar em um ponto de embarque e desembarque e ainda falar no celular enquanto está na direção. Os sindicatos e as companhias de ônibus não são contrários à demissão do profissional que for flagrado cometendo as irregularidades, mas sim que a aplicação da medida deva acontecer apenas depois da conclusão dos cursos de reciclagem e aperfeiçoamento profissional.

A prefeitura contesta. Segundo ela não é necessário nenhuma orientação para saber que é proibido avançar no sinal vermelho. A fiscalização vai funcionar através de um cadastro de registro com os dados do tal motorista infrator. O estranho é que a prefeitura incumbiu às próprias empresas de ônibus de anotar quem de seus motoristas está avançando o sinal. Para a Secretaria de Transporte do Estado do Rio de Janeiro esses motoristas não tem condições de circular com os ônibus porque coloca em risco a vida de centenas de pessoas. As auto viações protestam mais garantem que cumprirão o acordo. Agora resta saber se as empresas realmente apontaram os nomes de quem está infringindo a lei e veremos os culpados serem punidos.

Preço para comprar passagem rodoviária anima Superarticulados

Excelentes preços passagens rodoviárias superarticulados

Comprar passagem rodoviária com baixo custo em São Paulo é um dos fatores positivos vistos pela prefeitura da cidade e empresários do setor para aquisição de novos veículos Superarticulados. Segundo dados da montadora Caio, só em São Paulo serão disponibilizados cerca de 100 novas unidades do modelo Millennium BRT. Uma das empresas que já comprou parte da frota superarticulada é a VIP – Viação Itaim Paulista. O restante ainda vai ser negociado com empresas de ônibus que vencerem a licitação para prestar os serviços de transporte urbano. Este modelo é ainda maior e mais capaz de transportar o maior número de tripulantes em uma única viagem. São 23 metros de comprimento contra 18 dos antigos.

Se o ônibus chegar a sua lotação máxima transportará 30% mais passageiros do que os articulados já vistos em São Paulo. No total são 175 passageiros, 117 em pé e 58 sentados, com liberdade para cadeirantes e espaço reservado aos cães guias que acompanham passageiros com deficiência visual.  O chassi 500 UDA da Mercedes Benz é o responsável pela amplitude deste modelo. Existem dois eixos presentes próximos à articulação que propiciam mais força e tamanho elevado. Outros municípios e auto frotas de outras regiões já se interessaram pela modelo superarticulado da Caio. Os grandes ônibus poderão aparecer em breve.

Dentro do veículo a montadora também oferece dispositivos opcionais: ar condicionado, sistema de monitoramento computadorizado para junção carroceria e abertura de portas laterais. A grande inovação interna vista neste modelo é a poltrona. De acordo com a montadora elas são menos densas do que as convencionais proporcionando melhor repouso e mais praticidade na hora de concertá-las.  O formato da carroceira e até mesmo o chassi foram criados pontualmente para se adaptarem bem aos sistemas de mobilidade do Brasil. A Mercedes Benz explica que o BRT – Bus Rapid Transit, e outras obras de grande porte são grandes exemplos para direcionar a aplicação destes coletivos de viagens. Os corredores de ônibus do tipo BRT são apostas para melhorar o trânsito durante os jogos da Copa do Mundo de 2014 e incentivos em cidades beneficiadas pelo PAC Mobilidade.

Viagem de ônibus ganha destaque no Facebook

Viagem de ônibus destaque Facebook

Falar sobre viagem de ônibus nas redes sociais está virando moda hoje em dia e por isso a Marcopolo, uma das maiores empresas fabricantes de carrocerias de ônibus do Brasil, não perdeu tempo e tratou de fazer parte dessa novidade digital. Devido a sua criativa proposta de disponibilizar conteúdos na rede social, a empresa foi recompensada ao ganhar um importante prêmio de marketing do Top Marketing ADVB 2012 na categoria Indústria Nacional. A premiação é um oferecimento da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil, do Rio Grande do Sul. A empresa ligada às companhias de transporte coletivo apenas conseguiu ganhar o prêmio justamente porque elaborou bem suas páginas nas redes sociais e soube gerenciar os conteúdos ali disponíveis.

Para obter os melhores resultados com a nova ferramenta, o gerente especializado em estratégia e marketing corporativo da Marcopolo, Walter Cruz, revela que nada foi por acaso. Foram investidas muitas horas de pesquisas e estudos para achar o ponto ideal, levando sempre em consideração o mercado das empresas de ônibus, a concorrência, as próprias redes sociais e o real interesse do internauta. Ele conta que ano passado, a montadora lançou no Facebook, uma Fan Page para divulgar suas conquistas e atuações de interação com conteúdos de entretenimento, como é o caso de criação e compartilhamento entre recursos multimídia, notícias da companhia, produtos e até mesmo projetos culturais.

Em menos de um ano, depois de entrar para o mundo digital, a Marcopolo já tinha superado em sua Fan Page a marca de 100 mil seguidores. Segundo levantamento feito pela Socialbakers, empresa de analise de dados das principais redes sociais, a Marcopolo é a vice-campeão no número de acessos da rede social Facebook em todo o mundo, e é a empresa mais bem colocada no quesito engajamento de fãs  pela categoria indústria. De acordo com a empresa, a página criada na internet recebe diariamente visitas de pessoas ligadas aos coletivos de viagens, especialistas em ônibus, usuários, e fãs incondicionais do transporte coletivo. Entre os assuntos mais procurados na página, estão as publicações de histórias e fotos de antigos modelos de expressos.

Conheça todos os direitos de quem faz viagem de onibus

direitos mercado rodoviário

Quando a viagem de onibus é a escolhida por você para ser o meio de transporte usado no deslocamento de rápidas ou longas distâncias o negócio é saber exigir seus direitos, caso algum deles não seja cumprido. Mas para isso é importante saber e conhecer quais são os direitos antes mesmo de embarcar. Esteja sempre pronto contra imprevistos e não excite em cobrar caso algum deles não encontre de acordo. Então vamos lá. Casos de desistência ou remarcação merecem atenção especial. A primeira coisa que você deve saber é que as companhias de transporte só dão um ano de validade na sua passagem, contando a partir da data em que você pagou e retirou.

Agora se você não tiver mais interesse em trafegar naquela ocasião ou até mesmo desistir de viajar, tem direito de remarcar ou recuperar o dinheiro pago no bilhete. Mas atenção, isso pode demorar até um mês. Outro detalhe está no dia da compra. Se ela for efetuada com uma semana de antecedência, você não precisa marcar data nem horário. Já para os casos de atrasos você tem por direito duas opções. Se o transporte atrasar mais de uma hora, independente do motivo que levou o atraso, inclusive interrupção no meio do trajeto, a companhia é obrigada a acomodá-lo no próximo horário, mesmo que de outra empresa, você também pode desistir de partir com outra companhia e exigir a devolução do seu dinheiro.

Ao contrário do que a maioria dos passageiros não sabe é que se o desembarque acontecer com mais de três horas de atraso, as empresas de ônibus devem reembolsá-lo e ainda providenciar a você alimentação e até hospedagem quando há necessidade. Apenas você não recupera seu dinheiro se ficar constatado que o atraso ocorreu por sua causa. Você tem filhos? Então fique sabendo, se eles não tiverem mais do que cinco anos de idade você não precisa pagar pela passagem deles, lembrando que não devem ocupar um assento próprio. No caso das bagagens não leve até o bagageiro do veículo mais de 30 quilos, 300 decímetros cúbicos de volume e um metro de dimensão máxima. Parece esquisito, mas são o que os coletivos de viagens garantem aos seus usuários.