Empresas rodoviárias de Brasília entregam mais 80 ônibus

Empresas rodoviárias de Brasília

Empresas rodoviárias vencedoras da licitação dos transportes do Governo do Distrito Federal, no lote de número dois, acabam de entregar ao município de Brasília, 80 ônibus zero km. A entrega dos veículos aconteceu em uma quarta-feira, no dia 28 de março e veio ampliar a frota municipal responsável pelo atendimento a 28 linhas nos arredores da região do São Sebastião. A licitação conquistada pela companhia de ônibus brasiliense é referente a operação no Lago Sul, Jardim Botânico, Candangolândia, Santa Maria, Gama, Park Way, Itapoã e Paranaguá. Todos esses bairros deverão ser beneficiados com a renovação das frotas de suas empresas de transporte público.

Além dos veículos fornecidos pela viação Pioneira, mais 40 unidades dos coletivos de viagens já circulam desde julho em Itapoã e Paranaguá. Os novos veículos públicos disponíveis desde março possuem uma novidade importante. Todos respeitam as normas de combate à poluição impostas pelo Euro V e por isso são considerados os modelos mais atuais do mercado. A carroceria é fabricada pela Comil, modelo Svelto, chassi Mercedes Benz OF 1721 Euro V, e oferece muita comodidade, conforto e acesso aos passageiros com mobilidade reduzida. A empresa Comil, responsável pelas carrocerias dos ônibus, já vendeu mais de 450 ônibus rodoviários à companhia do Distrito Federal. Do total de coletivos comercializados, 397 são do modelo convencional e 69 são micros, do modelo Piá.

Mesmo com o investimento por parte da empresa concessionária, O Ministério Público está investigando as ações e analisando as condições que levaram a viação Pioneira e a viação Piracicabana, detentora das demais linhas do lote um, a saírem vitoriosas na licitação do Estado. Mesmo sendo independentes e não responderem ao mesmo grupo empresarial, as duas companhias são gerenciadas por familiares e pessoas próximas a Constantino de Oliveira, o fundador da Gol Linhas Aéreas e por isso deram margem a investigação. Se a apuração do Ministério Público apontar que as duas companhias de ônibus contrastaram com o que é previsto pelo edital de licitação é possível que ambas percam o direito de operar em Brasília, mesmo não tendo ligação entre suas administrações.

Empresas de onibus rodoviário ganham certificado de qualidade

 Certificado empresas de ônibus rodoviários

Empresas de onibus rodoviário como a auto viação Critur, concessionária do transporte coletivo urbano de Criciúma, em Santa Catarina, resolveram apostar na qualidade de seus serviços e sustentabilidade como política de trabalho ao invés de ampliarem a frota e apenas modernizar seus veículos rodoviários. De um ano pra cá a companhia de ônibus do sul do país adotou rígidas medidas e normas na execução de seus trabalhos e agora foi recomendada para a certificação ISO 9001. O convite é a prova dos resultados positivos que a empresa teve ao mudar o sistema de gestão interno visando à qualidade nas operações de seus coletivos urbanos.

Ao contrário do que a maioria faz, responsáveis pela viação Critur preferiram buscar novos recursos para qualificar os processos da empresa. Além do fortalecimento em todo modelo de gestão da qualidade da empresa, o processo aprovado desde o início de 2012 foi projetado para auxiliar na melhoria dos processos internos, capacitação dos colaboradores, monitoramento do ambiente de trabalho, verificação da satisfação dos clientes, colaboradores e fornecedores.O instituto certificador BSI realizou neste mês, um auditoria para acompanhar os progressos e realização da auto viações. Depois da analise, a Critur recebeu a certificação que tanto desejava.

De acordo com a diretora da companhia de viação, Florisvalda Dário, receber a indicação do ISSO 9001 é mais uma etapa vencida por uma empresa que quer contribuir com o mercado rodoviário no Brasil. “Qualificar os serviços ao cliente e capacitar nossos funcionários é importante”, destaca. Entre as normas estabelecidas para criação de um sistema de gestão de qualidade, a ISO 9001 é uma das certificações que alavanca o melhor de sua organização com intuito de compreensão de seus próprios processos de entrega de seus produtos e serviços a seus clientes. Esta norma determina os critérios que a empresa terá que cumprir para poder receber a certificação e trabalhar corretamente. Atualmente, a Auto Viação Critur conta com 120 colaborados e atende todo o município de Criciúma. Há 52 anos no mercado, atua como transporte de coletivos de viagens e urbano e outros trabalhos no setor de turismo e fretamento.

 

Viação catarinense passagens investe R$ 52 mi em nova frota

Investimento Viação Catarinense passagens

A viação catarinense passagens está investindo pesado na sua frota de veículos rodoviários. Só neste segundo semestre de 2013, a companhia de ônibus de apenas pouco mais de dois anos de atuação no mercado desembolsou R$ 52 milhões para melhorar o atendimento aos seus passageiros. Com o dinheiro foram comprados 110 novos ônibus. Desde meados de julho, os novos modelos começaram a circular nas estradas do Paraná, Santa Catarina e São Paulo por onde a auto viação tem concessão para operar.

A empresa é uma das companhias de ônibus com a taxa de idade da frota mais baixa do Brasil. Apenas 2,2 anos é o que corresponde à média de idade dos coletivos de viagens em circulação pela empresa catarinense. De acordo com o diretor executivo da Catarinense, Marcelo Pierobon, os novos modelos trazem uma identidade visual única e relacionada à preservação do meio ambiente. “Estamos investindo nesta renovação desde 2011 pensando em conforto, segurança, modernidade e redução na emissão de gases poluentes”, explica. Não é só nas cores que a companhia pensa em não agredir o meio ambiente, metade do toda a frota em circulação já possui o diesel S10, correspondente a todos os padrões de qualidade ambiental que são exigidos fora do país.

Viajar com eficiência, gastar menos combustível e monitorar a localização e a velocidade de seus veículos fez com que a viação Catarinense instalasse até o final de agosto deste ano aparelhos de GPS em 340 ônibus de sua frota. O valor deste investimento é o mesmo gasto para adquirir os novos coletivos. Cerca de R$ 50 mil foram aplicados para que os passageiros possam saber o tempo de espera e a chegada dos transportes até o terminal rodoviário. Apesar de ser jovem, a empresa anda muito e atende milhões de brasileiros. Já são 350 embarques todos os dias em rodoviárias de diversas cidades dos estados de Santa Catarina, Paraná e São Paulo, e até fora do país. No total, 386 mil passageiros são transportados todo o mês. A empresa realiza aproximadamente 10.200 viagens mensalmente e atende 134 linhas intermunicipais, interestaduais e internacionais.

Prefeitura quer baixar lucros das viaçoes rodoviarias em SP

 Baixas lucros auto viações

Se depender da prefeitura de São Paulo o lucro das viaçoes rodoviarias que operam na maior cidade do país vai ser menor. De acordo com o prefeito Fernando Haddad, o fim de alguns contratos com companhias de ônibus reacendeu a chance de rever tarifas e negociar novos lucros gerados em comissões. A ideia é promover o debate para que os acordos se tornem possíveis. Até o momento, empresários que administram frotas de veículos públicos estão lucrando pouco mais do que 7% em toda a arrecadação mensal. Apesar disso quando é realizadas melhorias nos ônibus o valor desses lucros chega dobrar.

Foi por causa das manifestações nas ruas e os protestos contra o aumento nas passagens de ônibus e melhores condições nos serviços de transporte público que a prefeitura preferiu cancelar a licitação das empresas de ônibus e das cooperativas. Os contratos somam R$ 46,4 bilhões e correspondem a dez anos de atividade para as cooperativas e outros quinze destinados as companhias de transporte rodoviário. A renovação do contrato para este tipo de categoria que já dura desde ultima década é o que motivou a negociação. Na época a situação do Brasil se encontrava em um ambiente mais favorável.

Segundo Haddad a justificativa para rever os lucros exigidos pelas empresas de ônibus está na taxa de juros cobrada há dez anos. “Na época que o contrato foi assinado era uma época que a taxa de juros estava na casa de 25%. Essa realidade mudou então não podemos aceitar uma taxa de retorno igual aquela do inicio do contrato”, falou em coletiva. Junto com os juros, o número de passageiros e usuários do serviço de transporte público também subiu registrando aumento de 16%. Antes eram 2,5 bilhões de passageiros, agora são 2,9 bilhões todos os anos. A construção de estações de metrô na linha 4 Amarela, sentido Butantã e Luz diminuiu a procura por ônibus entre os anos de 2011 a 2012 em 0,81%. Até agora o prazo para realizar nova licitação está indefinido tão quanto os novos valores que serão negociados como lucro das empresas de coletivos de viagens.

Viaçoes rodoviarias são obrigadas a apontar idade em Brasília

 

Viações rodoviárias Brasília

Viaçoes rodoviarias do Distrito Federal agora precisam revelar a idade máxima de vida útil de cada um dos seus ônibus. De acordo com o novo decreto publicado na segunda-feira, no dia 8 de julho, no Diário Oficial do Distrito Federal todos os coletivos de viagens que operam em Brasília deverão apresentar placas com indicação da data limite que cada veículo poderá chegar. A informação de responsabilidade das auto frotas deve ficar em um local visível para todos os passageiros. A média de idade imposta para os expressos brasileiros é de até sete anos de circulação, porém no Distrito Federal a realidade é outra. Lá os ônibus são aproveitados até nove anos.

Os modelos mais antigos e mais usados do País são os transportes intermunicipais que abastecem a região do ABC Paulista, mais precisamente na área cinco da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos. É provável que a diferença entre a utilização dos coletivos de viagens do ABC Paulista e do Distrito Federal só aumente com a licitação feita na capital do Brasil. O processo encabeçado pela prefeitura de Brasília diminui a idade funcional das frotas, altera os serviços de transporte e reduz o agrupamento de todas as operações do setor. Mesmo com a média de idade acima, o decreto já começa trazer benefícios para os usuários do serviço rodoviário.

Cinco companhias de ônibus foram licitadas e devem renovar a frota. Apenas a soma de duas delas é correspondente à vinda de mais de mil novos ônibus. Segundo o governo estadual, a expectativa é que o número de veículos zero quilômetro ultrapassem os três mil exemplares. A viação São José e a companhia Pioneira são duas das ganhadoras dos lotes de operação. Em São Paulo a realização da licitação para renovação das frotas ainda é um problema. Apesar de a Grande São Paulo estar licitada com vencimento de contratações para 2016, no ABC Paulista a realidade é mais distante. A necessidade de novas operações é tão irrevogável que até a EMTU garantiu que abriria nova licitação no começo de 2013. A mudança moderniza o setor e melhora a qualidade do serviço.

Rio Grande do Sul copia voos e incentiva leitura nos ônibus

 

Mais leitura ônibus rodoviários

O Rio Grande do Sul pretender apostar na mesma estratégia dos voos brasileiros para incentivar os passageiros de ônibus do interior do Estado a se habituarem à leitura. Como já é comum de se ver nas viagens aéreas, ler e aproveitar o tempo da viagem como hora extra para dar aquela espiadinha nos assuntos mais comentados da semana e até mesmo gastar algumas páginas de um bom livro é algo que deve ser comum no Sul do Brasil. A ideia do governo é tornar os percursos mais atrativos e proveitosos. Segundo informações do Governo do Rio Grande do Sul a mudança só ocorrerá inicialmente nos expressos intermunicipais e já começa ser testada no segundo semestre de 2013. A partir da data os passageiros podem optar pela leitura durante as viagens.

O projeto tem o nome de Prosa na Estrada e foi oficialmente apresentado no dia 24 de junho, às 15h30, em frente ao Palácio Piratini, na sede do Governo, em Porto Alegre. A reunião foi marcada pela presença do atual governador Tarso Genro, do secretário de Estado da Cultura, Luiz Antônio de Assis Brasil e convidados. A intenção de Tarso e do secretário é disponibilizar folhetos contendo textos literários de pelo menos 30 autores renomados. Do total, 23 nomes serão escolhidos por edital, o restante será destinado apenas para obras de autores já falecidos e já foram escolhidos. Entre eles estão trechos de alguns sucessos da literatura escritos por Moacyr Scliar; Sérgio Jockyman; Caio Fernando Abreu; Cyro Martins; João Simões Lopes Neto; Vera Karam e Carlos Carvalho.

O programa Prosa na Estrada voltado ao transporte público foi fornecido às companhias de ônibus contempladas através de um concurso promovido pelo IEL – Instituto Estadual do Livro, em parcerias com o Daer – Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem e a Ages – Associação Gaúcha de Escritores. Outros órgãos como a Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas e a Celulose Rio-Grandense estiveram envolvidos no projeto. No total 50 mil cópias deverão ser distribuídas para atender cerca de 100 mil passageiros que utilizam os serviços nos coletivos de viagens e interligam as cidades do Sul do país.

Viaçoes rodoviarias querem baixar a tarifa de ônibus

Tarifas menores passagens de ônibus

Empresários de viaçoes rodoviarias de São Paulo se reúnem no final desta semana para pedir ao governo de Dilma Rousseff a diminuição no valor cobrado pelo óleo diesel como subsídio para reduzir o preço das tarifas dos ônibus. Enquanto as manifestações forçam os governos a cederem às reduções, as companhias também se mexem. De acordo com o presidente da ATP – Associação dos Transportadores de Passageiros de São Paulo, Enio Roberto dos Reis, mais duas medidas serão apresentadas para auxiliar na diminuição dos valores. Entre elas estão: corte nas cobranças de encargos sociais da folha de pagamento da empresas. Eles não querem mexer no salário de seus funcionários, mas sugerem que os impostos possam ser menores.

A diminuição do ICMS cobrado no chassi e na carroceria dos coletivos de viagens é a alternativa proposta pelas associação dos transportes. As ideias deveram ser debatidas no Seminário Nacional 2013 — Mobilidade Sustentável Urbana para um Brasil Competitivo, por Enio Reis. Se as empresas conseguirem o que estão pedindo além de custear as despesas que tem com as peças e os equipamentos dos coletivos, praticamente compensará os valores perdidos com a diminuição das passagens. Aproximadamente 90% do prejuízo deve ser sanado. Na visão da ATP, a capital do Estado de São Paulo é uma das cidades que mais promove benefícios no transporte brasileiro.

Segundo dados da associação, 33% de todos os usuários das companhias de transporte associadas não pagam nada pela passagem. Só as meia passagens fornecidas aos estudantes representa uma perda de R$ 4,3 milhões por mês. O embarque de passageiros com idades acima dos 60 anos e pessoas mais carentes que comprovam rende de até três salários mínimos também pesam para as companhias. Os carteiros também é outra categoria que está isenta das tarifas, mas que por outro lado não contribui com os custos de operação do transporte rodoviário. Em Porto Alegre, as tarifas de ônibus são uma das mais caras do Brasil e é por isso que o Ministério Público de Contas quer investigar qual é o lucro líquido das empresas. As empresas de ônibus informam que o lucro está no total previsto, nos valores de 6,33% da tarifa, porém dados do Tribunal de Contas do Estado apontaram dados de até 19% de lucros para algumas operadoras do Sul.

 

Companhia de Viação 1001 viagens tem mais reclamações

 

 Reclamações Viação 1001

A Companhia de Viação 1001 viagens é uma das empresas de transporte público que mais recebeu reclamações de seus usuários no último ano. Os atrasos nas linhas por onde opera e os reajustes cobrados nas tarifas de seus ônibus são os motivos mais contestados por quem vive utilizando os serviços da empresa que já completou 65 anos de existência. Por causa das reclamações, a Auto Viação 1001 virou tema de uma audiência pública no Rio de Janeiro. A Alerj – Comissão Permanente de Transportes da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro foi quem promoveu o encontro entre os passageiros e responsáveis pela concessionaria carioca. A reunião pública informal aconteceu na terça-feira, dia 11 de junho, às 10h30, na sala 316 do Palácio Tiradentes, sede da comissão, e serviu como ambiente de debates sobre os serviços prestados pela Viação 1001.

O deputado estadual Roberto Henriques, do PSD, foi quem fez o pedido para que a audiência acontecesse. Os coletivos de viagens da empresa 1001 passagens são os mais rodados pelo Estado. Segundo informações da própria companhia, a Viação 1001 é a maior operadora entre as linhas que ligam as cidades de Rio de Janeiro e São Paulo. Ela também atende os trajetos em diversas regiões do Estado e outros municípios como é o caso do Norte Fluminense para a capital carioca, por onde tem privilégio exclusivo. As cidades de Macuco, Cordeiro, Cantagalo, Bom Jardim e Nova Friburgo também são atendidas pela companhia de transporte rodoviário na região da Serra.

Durante a audiência, problemas como preços das viagens e até a conservação e o conforto dos expressos foram apontados. O Detro RJ – Departamento de transportes rodoviários do Rio de Janeiro, órgão capaz de conceder e fiscalizar os coletivos, representantes da empresa e passageiros participaram do debate. De acordo com alguns passageiros, a Auto Viação não cumpre todos os horários previstos por lei e nem oferece um transporte em boas condições para uso. A empresa de veículos públicos se difere da concorrência com acessos facilitados para compra das passagens na internet e Salas Vips em terminais de Novo Rio, Niterói, São Paulo, Campos dos Goytacazes e Florianópolis.

Itapemirim passagens faz parceria com Arquidiocese de SP

Itapemirim passagens  Arquidiocese

A empresa Itapemirim passagens firmou uma parceria profissional com a Arquidiocese de São Paulo para oferecer um serviço de transporte especial aos católicos do Rio de Janeiro durante a 28ª Jornada Mundial da Juventude. O evento promovido pela igreja católica acontece entre os dias 23 e dia 28 de julho e deve movimentar cerca de dois milhões a 2,5 milhões de pessoas. A viação Itapemirim vai operar as linhas em novos horários para anteder os passageiros que forem até o evento. Todos os embarques feitos nas rodoviárias terão como destino incomum a rodoviária carioca. A logística conta com os expressos e horários extras, orientadores contratados pela companhia para ajudar a guiar os turistas, e profissionais bilíngues que possam traduzir as conversas de quem vem de fora do país. Para a jornada é aguardada a presença do papa Francisco, Jorge Mario Bergoglio, e de comissões católicas vindas de vários países.

Segundo a empresa de viação, 31 veículos a mais estarão à disposição para transportar os passageiros de São Paulo até o Rio de Janeiro e vice versa. Apesar disso, o número da frota adicional pode aumentar caso a Itapemirim considere necessário. Mesmo com a mudança nos horários e no aumento de coletivos de viagens operantes durante os dias da celebração religiosa, os preços cobrados pelas passagens não serão alterados. Aliás, as tarifas podem ser parceladas e não terão reajustes. As vans em fretamento, estacionamento de transporte rodoviário e circulação de carros devem ficar atentos com as restrições impostas pela Prefeitura do Rio de Janeiro. A medida é uma forma de prevenir tumultos e acidentes de trânsito enquanto acontece a jornada.

Veículos que fazem parte das linhas regulares estão com o acesso livre até a rodoviária Novo Rio. A parceria entre a entidade religiosa e a empresa rodoviária não prevê fretamento para atender os passageiros. Segundo a viação Itapemirim apenas as passagens rodoviárias é que são comercializadas. Assim como acontece com as linhas convencionais, para adquirir os bilhetes há duas opções, sendo de forma individual ou em grupos. Para aqueles que irão viajar para ver a visita do papa poderá conseguir mais informações pelo telefone da Itapemirim, no (11) 2146-8470 ou no e-mail jmj.juventude@itapemirimcorp.com.br. Os canais de comunicação foram criados exclusivamente para atender o evento.

Funcionários de empresa de ônibus em são paulo terão banheiros

 Banheiros para funcionários empresa de ônibus em SP

Agora quem trabalha em empresa de ônibus em são paulo terá direito a uso de serviços básicos em todos os pontos de acesso final dos veículos públicos instalados no município paulista. Uma nova lei publicada no Diário Oficial de São Paulo obriga todas as companhias de ônibus da capital a oferecerem em todos os pontos com destino finais onde não houver terminais rodoviários uma série de serviços como banheiros, água potável e também acomodações e abrigos para os profissionais terem um local para se protegerem do mal tempo enquanto esperam os itinerários e linhas até chegar o próximo embarque. A medida beneficia motoristas, cobradores, fiscais e todos os funcionários que de alguma forma operam o sistema.

Em vigor, os expressos obrigatoriamente deverão obedecer a lei criada pelo parlamentar “Vavá”. O projeto de lei foi aprovado pela Câmara Municipal de São Paulo e publicado em órgão oficial no dia 4 de junho de 2013. Por hora o uso do espaço para repouso e necessidades básicas não estará disponível para passageiros e usuários que viajarem e desembarcarem nos pontos finais. Segundo a lei do vereador Valdemar Silva, o Vavá dos transportes, em algumas situações, os funcionários e profissionais podem decidir liberar o acesso ao espaço se acharem mais conveniente. As companhias de transporte que operam as linhas rodoviárias de São Paulo são as responsáveis pela aplicação da lei. São elas que devem instalar e presar pela manutenção dos locais.

Empregados de outras modalidades como os mini ônibus, vans e até os ônibus de cooperativas também são incluídos pela exigência da lei. Portanto os últimos pontos de coletivos de viagens de parada para essas categorias também precisam mudar. Com a falta de estrutura fornecida somente nas rodoviárias, hoje a realidade desses pontos de parada final são bem diferentes. A maioria deles não possui banheiro e nem água para saciar a sede de quem para no local. É comum quando os próprios motoristas, cobradores e também os fiscais se abrigam em estacionamentos pagos ou se alongam até chegar a suas casas em casos em que a distância é relativamente próxima ao do ponto de parada.