Viação Andorinha e outras sete empresas são beneficiadas em MS

Ônibus da viação Andorinha.

Ônibus da viação Andorinha.

A companhia de ônibus Andorinha e outras sete auto viações foram contempladas com a doação de terrenos e a isenção de alguns impostos pela prefeitura de Campo Grande (MS). O benefício vem do Programa de Incentivo Econômico e Social de Campo Grande (Prodes) e deve ser uma das primeiras intervenções para o projeto de construção da Cidade Ônibus na capital. O inventivo foi publicado no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande), no dia 28 de julho. Além da viação Andorinha, a empresa Expresso Mato Grosso, Expresso Queiroz, Expresso Motta, Viação São Luiz, Viação Nova Integração, Viação Umuarama, Viação Cruzeiro do Sul e Agência União Cascavel de Turismo (Eucatur) também serão contempladas com uma área que varia entre 3.100, 94 m² até 17.262, 71 m² de extensão. Além das doações dos terrenos, as companhias de ônibus terão isenção de ISS (Imposto sobre Serviços) da construção, redução de 30% no IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) por três anos, isenção das taxas e do ISSQN incidente sobre as obras de construção do empreendimento incentivado, inclusive as realizadas por terceiros.

O Prodes foi criado para viabilizar o desenvolvimento social, turístico, econômico, cultural e tecnológico de Campo Grande, e, portanto deve apoiar outros setores do comércio e indústria, por meio da concessão de incentivos, instalação de empresas e abertura para prestação de serviços variados. A área será destinada para concentrar a frota de veículos das empresas rodoviárias que atendem a cidade. A ideia da Prefeitura é construir no local um complexo para integrar os veículos em um só lugar, diminuindo o fluxo rodoviário de pelo menos 600 coletivos que cruzam o centro da cidade para chegar até suas garagens. Com o projeto pronto para 2017, o poder executivo deve combater a poluição das principais avenidas, preservar a pavimentação asfáltica e desafogar o trânsito de veículos nos horários de pico.

Cidade Ônibus
O projeto proposto pela prefeitura foi lançado há cinco anos e deve sair do papel em 2016. O investimento total está estimado na casa dos R$ 11,4 milhões e a expectativa da Prefeitura é que o programa gere mais de 1 mil empregos.

Empresas de ônibus invadem a internet em busca de clientes

Reservar passagem online.

Reservar passagem online.

Mais práticas e cômodas, as passagens rodoviárias reservadas pela internet caírem de vez no gosto dos internautas brasileiros. A mudança de comportamento na hora de contratar o serviço com antecedência vem surpreendendo tanto de um tempo pra cá, que nunca se viu tantas auto viações oferecem as reservas pela internet. Apesar de muitas empresas ainda não conhecerem os benefícios de uma integração online, o número de companhias rodoviárias interessadas no mecanismo segue em alta desde o começo deste ano. Se o número manter a mesma média de novas contratações na rede, até o final do ano mais de 60% da empresas autorizadas pela ANTT –  Agência Nacional de Transportes Terrestres, para operar em linhas interestaduais, disponibilizarão no mínimo uma de suas rotas pela internet.

Quem comercializa o serviço está otimista com essa ascensão. É o caso do e-commerce brasileiro Quero Passagem, que iniciou suas atividades no país em setembro de 2013 e de lá pra cá, registra nos últimos três meses, a maior integração rodoviária em seu sistema de reserva online. Só a startup tem mais de 40 auto viações credenciadas, que vendem através do site, boa parte de suas linhas interestaduais, em diferentes itinerários e tipos de ônibus oferecidos. Somando todas as linhas, a Quero Passagem consegue oferecer mais de 3 mil destinos rodoviários pelo Brasil, em uma cobertura de 90% de todo território nacional.

Novos credenciamentos, importantes companhias
Conhecidas por muitos brasileiros, quem chega para compor o tipo de empresas aptas a reserva online, reforça ainda mais as ofertas de preço e serviços em cada roteiro pesquisado. As últimas integrações disponibilizadas por incorporadoras do setor rodoviário compactam os serviços de grandes companhias, como viação Reunidas, Araguarina, Pássaro Verde, Transbrasiliana, Rápido Marajó, Goiânia e Danubio Azul. Apesar das parcerias dependerem do interesse e de um bom investimento financeiro por parte das empresas, a intenção do diretor da Quero Passagem é priorizar o credenciamento de companhias de ônibus que tragam para o grupo, linhas inexploradas e de grande procura da população.

Integração da Quero Passagem completa rotas de Florianópolis

Compre passagens de ônibus de Florianópolis para Brasília.

Compre passagens de ônibus de Florianópolis para Brasília.

Além da viação Catarinense, quem não dispensa uma boa companhia rodoviária para sair da capital catarinense pode contar com o serviço de diversas empresas credenciadas pelo site Quero Passagem. O e-commerce com mais de um ano de atuação no Brasil, ultrapassou a marca de 45 auto viações parceiras. Juntas, as empresas correspondem a mais de 80% das rotas interestaduais do país, em mais de 3 mil destinos por todos os Estados brasileiros. Só em Florianópolis, grandes conhecidas dos usuários como a viação Real Expresso e Itapemirim, passarão a dividir suas ofertas com empresas do grupo da Transbrasiliana, a mesma que gera as operações da viação Rápido Marajó e de outras empresas, com forte atuação entre Goiás e o Distrito Federal. A companhia de ônibus é uma das últimas a se integrar ao sistema de passagens rodoviárias da Quero Passagem, que adquiriu só neste ano, mais de 10 parcerias no setor.

Com o credenciamento em alta, a agência digital é capaz de oferecer o melhor destino para seus clientes, ampliando as ofertas de preços e serviços, nos trechos pesquisados. Para o CEO da empresa, Lukasz Gieranczyk o objetivo é tornar a ferramenta mais prática e conveniente para viajantes de ônibus.  O recurso também está disponível nas versões inglês e espanhol e pode ser acessado através de qualquer dispositivo móvel, ligado à internet. A expectativa para o primeiro semestre deste ano é integrar companhias rodoviárias que oferecem destinos que atualmente só estão disponíveis no terminal rodoviário, além de testar o serviço em outros países que utilizam bastante o ônibus como veículo de passeio.

O grupo de empresas formadas pelas viações 1001, Águia Branca, Andorinha, Bragança, Brasil Sul, Brisa, Catarinense, Cometa, Costa Verde, Expresso Araguari, Expresso brasileiro, Expresso do Sul, Expresso Luxo, Garcia, Gardênia, Guanabara, Itapemirim, Lopes Sul, Macaense, Motta, Nacional  Expresso, Nasser, Ouro Branco, Pássaro Verde, Penha, Planalto, Pluma, Princesa do Ivaí, Princesa dos Campos, Progresso, Rápido Federal, Rápido Ribeirão, Real Expresso, Rotas do Triângulo, Salutaris, Santa Cruz, Setelagoano, Transbrasiliana, Transcontinental, Util, Viação Cantelle, Viação Estrela, Viação Fretcar, Viação Sampaio e Viação Rápido Marajó, é considerado o mais reconhecido no cenário rodoviário atual.

Fusão entre a viação São Geraldo e Gontijo garante liderança

Viação Gontijo e São Geraldo pertencem a mesma empresa.

Viação Gontijo e São Geraldo pertencem a mesma empresa.

Um acordo de integração entre as linhas rodoviárias oferecidas pelas companhias de ônibus São Geraldo e Gontijo está garantindo boas disputas financeiras com uma velha conhecida das regiões Sudeste, Norte e Nordeste. Famosa por operar em linhas interestaduais desde a década de 70, a viação Itapemirim passou a ter uma incômoda concorrência em vários trechos já oferecidos por ambas às companhias até municípios de Minas Gerais e outros Estados. Sediadas em Belo Horizonte, ambas as auto viações correspondem boa fatia das passagens rodoviárias adquiridas no Brasil. Segundo levantamento feito por uma conceituada revista do setor, a viação São Geraldo e Gontijo já estavam entre as três empresas mais ativas do setor, há mais de 10 anos.

Na época, as companhias rodoviárias saboreavam o segundo e terceiro lugares, abaixo da Itapemirim, que tinha oficialmente mais de 10% da participação no número de passageiros por quilômetro transportado. Por lei, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) obriga que a empresa de transporte de passageiros interestadual pode ter, no máximo, 20% do mercado nacional. Com a fusão, a soberania entre as linhas federais atingida pelas duas empresas passou a registrar mais de 14%, superando a viação “amarelinha” também na participação sobre a frota, já que a as duas juntas somam mais de 2 mil ônibus rodoviários, capazes de transportarem 8 milhões de passageiros por ano.

Incorporação Milionária
Em 2002, o grupo 1001 fez um investimento milionário para poder contar com as operações da viação Cometa. Na ocasião, foram desembolsados R$ 135 milhões, a maior incorporação entre duas empresas do setor de transporte rodoviário no Brasil. A fusão garantia uma receita líquida superior a R$ 200 milhões. Os valores estão bem mais abaixo do que a São Geraldo gastou para se unir definitivamente a Gontijo. Hoje a companhia Cometa, ao lado de outras empresas do setor faz parte do Grupo JCA.

São Geraldo
Fundada em 1949, em Caratinga, leste de Minas, com o nome de Rodrigues Teixeira & Cia. Ltda., a viação São Geraldo tem uma frota de 800 ônibus para transportar mais de 3 milhões de passageiros ao ano,  por 150 linhas rodoviárias de 17 Estados, mais o Distrito Federal , rodando todos os anos 110 milhões de quilômetros.

Viaje para o Sul neste verão com a Viação Catarinense

Litoral de Santa Catarina é boa opção no verão.

Litoral de Santa Catarina é boa opção no verão.

Está esperando o que? Já é hora de arrumar as malas e aproveitar os dias de sol, bem longe do sofá. Quem está nesta “onda” poderá contar com os serviços rodoviários da viação Catarinense se a intenção é economizar na viagem, sem deixar de conhecer os destinos brasileiros mais badalados desse verão. A companhia de ônibus mais antiga em atividade no Brasil é líder na comercialização de passagens entre linhas interestaduais para cidades do estado catarinense e outras localidades do Sul e Sudeste do Brasil. Com ela você pode garantir embarques em vários itinerários, no conforto de uma das frotas mais modernas do país, e o melhor, reservando a poltrona, sem sair de casa, através do site Quero Passagem. Para ajudar você a decidir qual destino escolher neste verão, o blog Auto Viações listou algumas opções muito procuras nesta época do ano. Confira qual cidade se encaixa mais no seu roteiro turístico e boa viagem!

Florianópolis
A capital catarinense é parada obrigatória para quem viaja até o Estado. “Floripa” para os mais chegados, é capaz de encantar turistas de diversas culturas, através da união de suas belezas naturais com o rico patrimônio histórico encontrado nas ruas da cidade. O local reúne lindas praias, lagoas, dunas e trilhas em meio à Mata Atlântica. Florianópolis tem como um de seus cartões de visita, a inconfundível Lagoinha do Leste.

Balneário Camboriú
Localizada no litoral Norte de Santa Catarina, a cidade de Balneário Camboriú é um dos balneários mais visitados do Estado. Conhecida como cidade carioca dos catarinenses, a localidade reúne praias paradisíacas, com excelente infraestrutura hoteleira, comércio forte e muita diversão. Compre sua passagem de ônibus com a viação Catarinense e desembarque nesta viagem ecoturistas e cheia de muitas atrações.

Itapema
Apesar de ser menos conhecida do que as duas cidades citadas, Itapema não perde nada quando o assunto é banhos de praia. O balneário é bastante movimentado no verão, considerado como um dos melhores do litoral Centro-Norte do Brasil. O destaque fica na Meia Praia, local onde é possível experimentar deliciosos frutos do mar, na praia mais extensa da cidade. A infraestrutura do local é composta por muitas pousadas, bares e uma boa rede de hotéis. As praias de Itapema também são prato cheio para banhistas que adoram adrenalina e esportes náuticos, principalmente quando a “prancha” está pronta para uso.

Compra da viação Garcia pela Brasil Sul completa dez meses

Auto viação está entre as cinco maiores do Brasil.

Auto viação está entre as cinco maiores do Brasil.

Completa na semana que vem, dez meses que a viação Garcia deixou de ser do empresário do Rio Grande do Sul, Mário Luft, fundador do grupo Luft. No dia 20 de fevereiro, a empresa Brasil Sul Linhas Rodoviárias adquiriu 50% dos direitos econômicos da auto viação, com sede em Londrina, no Paraná. A fusão oficializada no final do mês de fevereiro, uniu ao grupo da Brasil Sul, uma das cinco maiores companhias rodoviárias do Brasil. A viação Garcia, apostada pelos empresários espanhóis Celso Garcia Cid e José Garcia Villar, na década de 30, já pertencia a outro importante grupo de empresas do setor. Há quatro anos, a companhia de ônibus chegou a ser vendida pelo valor de R$ 400 milhões – a transação centralizava as ações da empresa paranaense ao lado das companhias Ouro Branco e Princesa do Ivaí, ambas com forte atuação no Paraná.

De acordo com as informações divulgadas em nota oficial, a Brasil Sul comprou metade do controle acionário da companhia Garcia. O grupo de investidores adquiriu o montante que faltava, depois dos órgãos responsáveis pelas concessões das linhas intermunicipais e interestaduais, darem as autorizações formais de compra, ao grupo. Mesmo com a fusão, as companhias permaneceram com os mesmos nomes operacionais, integrando o grupo, agora chamado de Grupo Garcia Brasil Sul. Para os novos proprietários, a troca de experiências entre as empresas, colocando toda a tradição da Garcia com a modernidade da Brasil Sul, já está refletindo na qualidade operacional do serviço prestado aos passageiros da região.

Atualmente, a Garcia ostenta uma das cinco vagas entre as cinco maiores auto viações do Brasil, oferecendo rotas rodoviárias entre o Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Sua parceria de fusão, a Brasil Sul, também tem sede em Londrina, atuando com imponência no estado do Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Segundo especialistas, a companhia integra o grupo rodoviário que mais cresce no país, investindo na renovação de suas frotas e composição de grandes transportadoras para liderar as linhas interestaduais no Sul e Sudeste do Brasil.

 

Auto Viação 1001 suspende biometria a idosos e deficientes

Idosos não precisam passar por sistema de Biometria.

Idosos não precisam passar por sistema de Biometria.

A Auto Viação 1001 e outras 13 empresas rodoviárias que trafegam pelo município de Niterói, no Rio de Janeiro estão proibidas de utilizarem o Sistema de Bilhetagem Eletrônica e a Biometria Datiloscópica em embarques de passageiros com mobilidade reduzida, deficientes físicos e idosos. A determinação da Justiça alcançada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) poderá acarretar multa de R$ 500 mil para cada companhia de ônibus que descumprir a nova determinação. Sem a obrigatoriedade de recarregar o cartão magnético ou passar fazer a impressão digital através do leitor biométrico, idosos e deficientes poderão utilizar o transporte coletivo apenas apresentando na hora do embarque, um documento de identidade com foto atual.

Além da viação 1001, a empresa Expresso Miramar, Empresa de Transportes Braso Lisboa, Auto Lotação Ingá, Transportes Peixoto, Expresso Barreto, Santo Antônio Transportes, Viação Fortaleza, Viação Araçatuba, Viação Pendotiba, Auto Ônibus Brasília, Expresso Garcia, Trans Turismo Rio Minho e Rio Minho já estão cientes de que precisam mudar. Segundo a determinação judicial, todas as auto viações deverão expedir ofícios ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran), ao Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem-RJ) e ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) apresentando informações sobre a existência de procedimento de verificação dos equipamentos utilizados nos coletivos que trafegam em Niterói, referentes à Bilhetagem Eletrônica e à Biometria Datiloscópica. Todavia, o Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário do Estado (Setrerj) e a prefeitura de Niterói afirmam não saber sobre a expedição deste documento.

A determinação é resultado de uma ação civil pública que o MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) entrou em novembro deste ano, contra a prefeitura e o próprio Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj). A denúncia alega que as empresas de ônibus estavam violando os direitos de passageiros com idade superior a 60 anos e deficientes, em detrimento do sistema biométrico ligado no interior dos veículos rodoviários. O problema já dura mais de dez anos e agora deve garantir que os passageiros embarquem gratuitamente nesse tipo de transporte.

União da viação São Geraldo com Gontijo supera concorrência

Viação Gontijo arca com dívida milionária.

Viação Gontijo arca com dívida milionária.

A união entre a viação São Geraldo e a Gontijo Transportes está desbancando operações rodoviárias de fortes concorrentes, como é o caso da viação Itapemirim. Graças à aquisição feita pelo grupo da Gontijo, conhecida por atuar em linhas interestaduais entre São Paulo e Minas Gerais, além de estar presente em Goiás e na Bahia, colocou as atividades das duas auto viações no topo do ranking das maiores empresas de transporte rodoviário do país. Ambas as empresas estão sediadas em Belo Horizonte, e já possuem importantes conexões entre municípios do estado mineiro com outras paradas pela região sudeste do Brasil. Tida como a maior negociação da década, a incorporação da Cometa pelo Grupo 1001 custou aos investidores mais de R$ 130 milhões, no começo de 2012.

O negócio milionário previa receita líquida de no mínimo R$ 202 milhões. Valor inferior aos números envolvendo a negociação entre as duas companhias de ônibus mineiras. Segundo levantamento divulgado pela revista Transporte Moderno, há mais de 10 anos, a companhia São Geraldo e a viação Gontijo haviam se classificado entre as três maiores empresas do setor no Brasil, ficando apenas atrás da poderosa Itapemirim. Além da máquina de fazer dinheiro, as duas viações também são verdadeiros imãs de transportar passageiros. Em média, ambas levam mais de oito milhões ao seu destino, anualmente. As duas frotas rodoviárias somam mais de dois mil veículos modernos.

De acordo com a norma estipulada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), uma empresa de transporte interestadual não pode operar com mais do que 20% das linhas disponíveis no território nacional. Para se ter uma ideia, só a Itapemirim tem 12,10% de participação no número de passageiros por quilômetro transportado, a frente da São Geraldo com 7,87% e da Gontijo com 6,64%. A “amarelinha” já representava desde 2001, 9,07% de todos os veículos rodoviários em circulação, número inferior se somado com a frota das duas empresas rodoviárias de Minas Gerais. Para poder fechar o negócio, a viação Gontijo teve que arcar com uma dívida de a 44,45% do ativo total, no valor de R$ 303,547 milhões, deixada pela São Geraldo.

Viação Cometa tem frota ampliada depois da Copa do Mundo

Viação Cometa reforça frota na Copa do Mundo.

Viação Cometa reforça frota na Copa do Mundo.

Quem já comprou as passagens rodoviárias com a viação Cometa depois da Copa do Mundo, certamente não teve problemas para embarcar em veículos novos. Depois que o torneio futebolístico terminou, pelo menos 1 mil ônibus regulares ficaram a disposição de linhas interestaduais operadas pela companhia rodoviária. A frota que tem atuação em 200 municípios brasileiros está renovada e tem tecnologia com internet sem fio, sendo este um de seus diferenciais. Só no trajeto que liga as capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, a auto viação registrou fluxo de 25% a mais do movimento normal, durante as partidas da Copa disputada no Brasil. Para as viagens até Belo Horizonte, a companhia Cometa operou com 20% a mais de sua capacidade de circulação.

Na capital do Paraná, as viagens interestaduais também ganharam ônibus extras para dar conta da grande demanda de passageiros. Além do aumento no número de veículos rodoviários, a companhia de ônibus também ampliou seus horários de ônibus durante todo o Mundial realizado pela Fifa. Como tem forte atuação no interior do Estado de São Paulo, a viação Cometa também intensificou as viagens rodoviárias para cidades onde 15 seleções estiveram hospedadas, como foi o caso de Ribeirão Preto, Campinas, Santos e Itu – todas tinham Centros de Treinamentos padrão Fifa. Aliadas pelo mesmo grupo de investidores, a Cometa e a viação Expresso do Sul, somaram forças para transportar todos os torcedores com segurança e conforto, em quatro cidades-sede atendidas por ambas as empresas.

rodoviária Tietê ganhou uma sala VIP da Cometa para facilitar a compra de passagens de ônibus, além dos guichês das companhias que foram instalados em locais próximos aos terminais de embarque. Entre diversas novidades, os aplicativos para versões em dispositivos móveis, e totens informatizados que emitem o voucher para quem reservou os bilhetes na internet, ditaram o ritmo da compra rodoviária durante o período em que o mundo esteve voltado para o nosso país. A viação Cometa também tem vários tipos de ônibus que oferecem a seus passageiros internet Wi-Fi e poltronas reclináveis.

Atraso em viagem da viação Itapemirim gera indenização

Viação Itapemirim foi condenado por atraso.

Viação Itapemirim foi condenado por atraso.

A viação Itapemirim foi condenada pela juíza do 7º Juizado Especial Cível de Brasília a pagar a um passageiro valor a título de indenização por danos morais. Segundo consta na sentença, a auto viação teria atrasado mais de cinco horas na chegada ao destino, prejudicando o compromisso que o usuário teria em Belo Horizonte. O passageiro embarcou em um ônibus da Itapemirim do terminal rodoviário de Brasília com destino a capital de Minas Ferais para participar da XXX Edição dos Jogos Acadêmicos de Policiais e Bombeiros Militares do Brasil. Para azar do participante e da própria empresa de ônibus, o veículo apresentou falha mecânica e só desembarcou na rodoviária de Belo Horizonte mais de cinco horas depois do previsto.

Com o atraso, o passageiro não chegou ao evento a tempo e teve sua participação cancelada. Livre para apresentar sua contestação de defesa, em um prazo determinado, a companhia rodoviária Itapemirim, se calou, dando veracidade aos fatos apresentados pelo cliente. Para o juiz, os problemas apresentados na operação do veículo, que ocasionaram no longo atraso até o desembarque programado, frustrou a expectativa do consumidor de obter a prestação de serviço conforme previsão inserta no contrato de transporte. É por isso, que ficou evidenciada a falha na prestação de serviços e o passageiro deverá ser indenizado, segundo artigo 14 do CDC – Código de Defesa do Consumidor. Segundo o artigo, o correto é ressarcir o passageiro pelos prejuízos por ele sofridos.

O processo também se apega no fato de que, conforme foi percebido o problema, durante a viagem rodoviária, há medida em que o atraso ia aumentando, o passageiro passou a sentir ansiedade, angústias, inseguranças, aflição e desconforto que ultrapassam a esfera da normalidade, atingindo os direitos de personalidade do autor, razão pela qual a condenação da requerida a reparar o dano moral por ele sofrido é medida que se impõe. Diante dos fatos, a empresa rodoviária deverá pagar uma boa quantia imposta por lei. Se a moda pegar, essa e outras companhias de ônibus podem ter problemas, já que falhas mecânicas são comuns quando se opera em linhas interestaduais de longa distância.