fiscalização no uso de cintos em ônibus rodoviários

O cinto de segurança é obrigatório em viagens rodoviárias, sendo mais fiscalizado agora pelas empresas de auto viações, após denúncias de reportagens televisivas. A grande concentração de ônibus rodoviários é principalmente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, indo ao encontro com os eixos do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, onde estão a maioria das pessoas, muitas oportunidades de trabalho, tudo proporcional ao poder aquisitivo maior, na média de cada cidadão. Em decorrência desse fato, quanto mais possibilidades, mais possíveis erros, logicamente. As companhias de transporte por rodovias e estradas sabem que a fiscalização não é realizada em postos policiais, mas sabem que devem zelar pela melhor qualidade em seu trabalho. As rodoviárias também sabem do poder e atitude de sempre dispor mais conforto e qualidade para os usuários, em principal, por isso se interam em cobrar das agencias transportadoras e não permitir essas más práticas no ambiente do terminal, que não ocasionam maiores vantagem para a administração do lugar.

A empresa Cometa e Costa Verde já se põe a frente na manutenção do interior dos seus coletivos, na verificação dos cintos de segurança, se estão disponíveis para uso ou não, se precisam ser trocados ou feitos ajustes. Com a iniciativa, antes de saírem das garagens os veículos já são vistos por funcionários, chegando à estação, onde após a entrada e acomodação dos passageiros, agora o motorista pede para todos atarem os cintos, como em viagens aéreas e confere essa realização e conta as pessoas sentadas. A qualidade e conforto são primícias de retorno do viajante em futuras oportunidades. Se antecipando, as viações não embarcam sem higienização dos assentos, banheiro e piso civilizados, realizada por outro time de funcionários. A parte elétrica também foi revista, principalmente em ônibus executivos e leitos, daquelas luzes individuais flexíveis acima dos bancos, dos monitores e demais luzes no corredor e outros compartimentos, sabendo que para cada cliente não podem estar queimadas ou com mau contato, atrapalhando a estada pessoal, em ocasiões de leituras, assistir filmes, acessar mídias, jogos, apostilas de estudo, material do trabalho ou precisar de iluminação para encontrar objetos em bolsas durante a viagem.