Auto viações impulsionam mercado de transportes de passageiros

O mercado de transportes de passageiros no país só tende a melhorar. Grandes investimentos externos estão sendo pensados nessa nova abertura no país, impulsionada desde o começo dos anos 2000, tendo empresas de transportes aéreos saindo na frente em oferecer novos destinos, novas aeronaves e demais facilidades para o público, assim como algumas companhias foram se aglutinando e formando fortes grupos, de influências na América Latina e demais países. Com acordos feitos pelas nações também, o mercado de turismo literalmente decolou, inclusive para as auto viações. Essas empresas também se beneficiaram em acordos como o MERCOSUL, nas facilidades no intercâmbio de transportes nos territórios estrangeiros. O cenário entre os meios de transportes também passou a ser mais integrado. Os turistas utilizam aviões para virem de outros países, mas nas cidades em que pousam já sabem que devem comprar suas passagens de ônibus, especialmente em agencias de turismo na internet para facilitar o acesso, e se deslocar até a rodoviária indicada para o embarque. Para este, que não fala com facilidade a língua portuguesa, estará mais seguro e só deverá decifrar visualmente as situações.

A competição disputada pelas transportadoras existe, especial para as companhias rodoviárias que, muitas vezes lançam horários próximos e destinos iguais, ganhando aquele que dispõe de mais conforto e outras com anos de tradição presentes. Na verdade, a pontualidade é a diferença campeã, marca forte dos ônibus rodoviários há mais de 20 anos, posso testemunhar, mudando a história dos transportes coletivos pelas rodovias do Brasil. Viajar por terra ou ar, é a pergunta que cada vez mais as viações a aviações querem responder, potencializando seus serviços para ganhar alguns corredores disputados como entre passagens aéreas e passagens rodoviárias entre São Paulo e Rio de Janeiro ou Curitiba e São Paulo, que a dúvida paira na decisão quando levados em conta tempo de espera, serviços oferecidos antes, durante e após a viagem e os atrasos frequentes em aeroportos.

O ideal seriam ambos os sistemas lutarem para um atrair a atenção para o outro, promoções e descontos pensados para mais participação entre as marcas e sistemas de transportes diferentes. As parcerias deverão aumentar certamente com os acontecimentos futuros, aparecerem novas mídias aumentando o impacto dos grandes nomes nos interiores e outros espaços das companhias, a publicidade e a propaganda atraindo mais novos públicos e o crescente aumento de compra de passagens de ônibus.