Auto viação Catarinense investe R$ 15 milhões em frota

Companhia de ônibus Catarinense gasta R$ 15 milhões em novos e modernos veículos para renovar sua frota.

Catarinense investe em tecnologia de sua frota

A viação Catarinense, a companhia de ônibus mais antiga em atividade no Brasil, não poupou as finanças na hora de investir em sua frota.
Até o último balanço feito pela empresa de transporte rodoviário, mais de R$ 15 milhões haviam sido gastos para colocar as ruas, veículos com tecnologia inovadora que aperfeiçoaram o sistema de frenagem, evitando acidentes e erros na direção do volante.
Para o diretor executivo da companhia rodoviária, Marcelo Pierobon, o crescimento na compra de passagens de ônibus e os lucros somados nos últimos três anos, são animadores.
A empresa passou os primeiros seis meses de 2011, com aumentos de 6% na procura pelas viagens e dobrou o faturamento no final do ano.

De lá pra cá, a renovação da frota e os investimentos aplicados em novas parcerias entre fornecedores, começaram a surtir efeito. Nem mesmo a grande concorrência entre as viagens aéreas foi capaz de atrapalhar os planos da companhia.
Para a empresa rodoviária, o ônibus ainda é o melhor meio de locomoção em atividade no país. “Os ônibus dificilmente atrasam, nunca cancelam as viagens e quando um veículo der problema basta apenas mandarmos um carro até o local”, afirma Pierobon.
Mais do que manter a conservação dos ônibus em dia, o grupo aposta em novos ramos de atuação, como diferencial num mercado tão competitivo.

O dinheiro usado na compra dos novos veículos também favorece uma das novas apostas da empresa. A Catarinense implantou recentemente, o fretamento para transporte turístico, e garante que a novidade tem ajudado muito nos seus ganhos.
A venda de passagem de ônibus pela internet também foi outra área explorada pela operadora, e que vem dando ótimos resultados.
Além de disponibilizar as viagens em uma de suas páginas oficiais no mundo virtual, tem credenciamento com agências de turismo on-line, que se encarregam de fazer as vendas. Não é só do presente que a “oitentona” vive e aposta todas as fichas. A companhia guarda e da manutenção em uma verdadeira relíquia dos anos 20, em um de seus acervos. É o seu primeiro ônibus, uma jardineira de fabricação da General Motor dos Estados Unidos.