Viaçoes rodoviarias querem baixar a tarifa de ônibus

Tarifas menores passagens de ônibus

Empresários de viaçoes rodoviarias de São Paulo se reúnem no final desta semana para pedir ao governo de Dilma Rousseff a diminuição no valor cobrado pelo óleo diesel como subsídio para reduzir o preço das tarifas dos ônibus. Enquanto as manifestações forçam os governos a cederem às reduções, as companhias também se mexem. De acordo com o presidente da ATP – Associação dos Transportadores de Passageiros de São Paulo, Enio Roberto dos Reis, mais duas medidas serão apresentadas para auxiliar na diminuição dos valores. Entre elas estão: corte nas cobranças de encargos sociais da folha de pagamento da empresas. Eles não querem mexer no salário de seus funcionários, mas sugerem que os impostos possam ser menores.

A diminuição do ICMS cobrado no chassi e na carroceria dos coletivos de viagens é a alternativa proposta pelas associação dos transportes. As ideias deveram ser debatidas no Seminário Nacional 2013 — Mobilidade Sustentável Urbana para um Brasil Competitivo, por Enio Reis. Se as empresas conseguirem o que estão pedindo além de custear as despesas que tem com as peças e os equipamentos dos coletivos, praticamente compensará os valores perdidos com a diminuição das passagens. Aproximadamente 90% do prejuízo deve ser sanado. Na visão da ATP, a capital do Estado de São Paulo é uma das cidades que mais promove benefícios no transporte brasileiro.

Segundo dados da associação, 33% de todos os usuários das companhias de transporte associadas não pagam nada pela passagem. Só as meia passagens fornecidas aos estudantes representa uma perda de R$ 4,3 milhões por mês. O embarque de passageiros com idades acima dos 60 anos e pessoas mais carentes que comprovam rende de até três salários mínimos também pesam para as companhias. Os carteiros também é outra categoria que está isenta das tarifas, mas que por outro lado não contribui com os custos de operação do transporte rodoviário. Em Porto Alegre, as tarifas de ônibus são uma das mais caras do Brasil e é por isso que o Ministério Público de Contas quer investigar qual é o lucro líquido das empresas. As empresas de ônibus informam que o lucro está no total previsto, nos valores de 6,33% da tarifa, porém dados do Tribunal de Contas do Estado apontaram dados de até 19% de lucros para algumas operadoras do Sul.

 

Empresas de onibus em sao paulo atendem decisão do Executivo

 Auto viações SP poder executivo

 

Empresas de onibus em sao paulo que atendem a população de Presidente Prudente, no interior do Estado, irão cumprir nova determinação feita pela prefeitura da cidade para diminuir o valor cobrado pelas tarifas de ônibus. Mesmo sem a ordem ser oficial, as companhias Pruden Express e TCPP se mostraram favoráveis à mudança que deixa a passagem de ônibus 10 centavos mais barata. De acordo com o coordenador do Centro de Gerenciamento Operacional, o CGO que tem controle sobre as duas auto frotas, José Ricardo Gois, independente das decisões tomadas pelo executivo municipal, as viagens deverão acontecer normalmente até que novas medidas sejam tomadas para ajustar as mudanças.

A grande preocupação de Gois é assegurar que o sistema operacional não seja reduzido para compensar a queda na receita das empresas. Tanto a frota, quanto os funcionários e até mesmo as linhas operantes devem ser mantidas. O CGO vai calcular os prejuízos e só depois fará uma analise para decidir o que fazer. A alteração no valor que antes era R$ 2,60 e agora passa a ser cobrado R$ 2,50 significa uma perca de 4% no preço do bilhete. Uma pequena diferença que pode representar muito quando é coletiva. Até 2012 acabar, as auto viações cobravam R$ 2,40 para as passagens de ônibus em Presidente Prudente. Com a justificativa dos aumentos no combustível, nos salários dos empregados e na taxa da inflação este valor subiu 20 centavos logo no primeiro dia de 2013.

Mesmo com o aumento anual, as empresas de transporte público já estão acostumadas com os pedidos de revogação e diminuição das tarifas, feitas pelos passageiros. E por isso estão preparadas para acatar as medidas de redução feita pela prefeitura. As duas companhias de ônibus entendem que o governo também passa por um momento de pressão e por isso devem concordar com a diminuição dos valores. Elas prometem estudar possibilidades para regularizar a queda na arrecadação compensando ou cortando gastos internos. Segundo pronunciamento oficial da prefeita de Presidente Prudente, o novo valor cobrado pelas tarifas de transporte coletivo entra em vigor no sábado, dia 22 de junho e não tem previsão de reajustes.

Companhia de Viação 1001 viagens tem mais reclamações

 

 Reclamações Viação 1001

A Companhia de Viação 1001 viagens é uma das empresas de transporte público que mais recebeu reclamações de seus usuários no último ano. Os atrasos nas linhas por onde opera e os reajustes cobrados nas tarifas de seus ônibus são os motivos mais contestados por quem vive utilizando os serviços da empresa que já completou 65 anos de existência. Por causa das reclamações, a Auto Viação 1001 virou tema de uma audiência pública no Rio de Janeiro. A Alerj – Comissão Permanente de Transportes da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro foi quem promoveu o encontro entre os passageiros e responsáveis pela concessionaria carioca. A reunião pública informal aconteceu na terça-feira, dia 11 de junho, às 10h30, na sala 316 do Palácio Tiradentes, sede da comissão, e serviu como ambiente de debates sobre os serviços prestados pela Viação 1001.

O deputado estadual Roberto Henriques, do PSD, foi quem fez o pedido para que a audiência acontecesse. Os coletivos de viagens da empresa 1001 passagens são os mais rodados pelo Estado. Segundo informações da própria companhia, a Viação 1001 é a maior operadora entre as linhas que ligam as cidades de Rio de Janeiro e São Paulo. Ela também atende os trajetos em diversas regiões do Estado e outros municípios como é o caso do Norte Fluminense para a capital carioca, por onde tem privilégio exclusivo. As cidades de Macuco, Cordeiro, Cantagalo, Bom Jardim e Nova Friburgo também são atendidas pela companhia de transporte rodoviário na região da Serra.

Durante a audiência, problemas como preços das viagens e até a conservação e o conforto dos expressos foram apontados. O Detro RJ – Departamento de transportes rodoviários do Rio de Janeiro, órgão capaz de conceder e fiscalizar os coletivos, representantes da empresa e passageiros participaram do debate. De acordo com alguns passageiros, a Auto Viação não cumpre todos os horários previstos por lei e nem oferece um transporte em boas condições para uso. A empresa de veículos públicos se difere da concorrência com acessos facilitados para compra das passagens na internet e Salas Vips em terminais de Novo Rio, Niterói, São Paulo, Campos dos Goytacazes e Florianópolis.